Caraguá
Caraguá
INTERNACIONAL

Príncipe herdeiro da Arábia Saudita visita Paquistão para ampliar cooperação

17 Fev 2019 - 17h43Por AE

O príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman, iniciou neste domingo sua visita ao Paquistão, onde autoridades sauditas assinaram acordos no valor de US$ 20 bilhões para ajudar a nação islâmica a superar sua crise financeira.

O primeiro-ministro do Paquistão, Imran Khan, e os principais oficiais do governo e militares receberam o príncipe no aeroporto de Islamabad, onde ele recebeu uma saudação de 21 tiros. Mais cedo, os jatos da Força Aérea do Paquistão escoltaram o voo do príncipe Mohammad quando ele entrou no espaço aéreo do país.

Durante sua estadia de dois dias no Paquistão, o príncipe herdeiro manterá conversações formais com Khan para encontrar maneiras de melhorar a cooperação bilateral. A Arábia Saudita vai investir no setor de energia paquistanês, incluindo a instalação de uma refinaria de petróleo no sudoeste, perto da fronteira com o Irã. A medida provavelmente afetará Teerã, já que o Irã é o inimigo regional da Arábia Saudita.

Pouco depois de sua chegada, o príncipe Mohammad, acompanhado por uma delegação que inclui os principais empresários e ministros do governo, participou de uma cerimônia de assinatura dos contratos de investimento no valor de US$ 20 bilhões. "Esta é a primeira fase", disse ele na cerimônia, acrescentando esperar que o futuro traga ainda mais investimentos sauditas em território paquistanês. O Paquistão está em uma crise de endividamento e busca ajuda de US$ 12 bilhões do Fundo Monetário Internacional (FMI), mas ainda não assinou o acordo.

O ministro das Relações Exteriores do Paquistão, Shah Mahmood Qureshi, afirmou neste domingo que a visita do príncipe herdeiro levará as relações bilaterais dos dois países "a novos patamares". O Paquistão expressou apoio ao príncipe durante as críticas internacionais após o assassinato do colunista do Washington Post, Jamal Khashoggi, por agentes sauditas.

O príncipe Mohammad viajará mais tarde para a Índia, em meio a tensões entre Islamabad e Nova Délhi após o ataque na Caxemira, controlada pela Índia, que matou 41 soldados. O Paquistão condenou o ataque, mas a Índia responsabiliza o país pela violência. Fonte: Associated Press.

GNet

Matérias Relacionadas

Economia

WEG vai abrir nova fábrica na Ásia

Previsão de inauguração é para o primeiro semestre deste ano
WEG vai abrir nova fábrica na Ásia
Saúde

Aumento de casos de Covid-19 não deve elevar número de óbitos, afirma ministro

Queiroga disse também que, nos próximos 15 dias, serão distribuídos 14 milhões de testes rápidos de antígenos.
Aumento de casos de Covid-19 não deve elevar número de óbitos, afirma ministro
Geral

Incêndio em Nova York deixa 19 mortos, nove deles crianças

Fogo no bairro de Bronx deixou ainda centenas de feridos
Economia

Dólar cai para R$ 5,63, após dados de emprego nos EUA

Bolsa subiu 1,14%, mas fechou semana em baixa
Ver mais de Mundo