Santa Catarina

Tecnologia da Epagri para substituir abelhas rainhas pode aumentar produção de mel em até 200%

A tecnologia é resultado de pesquisas da Epagri, que selecionou as rainhas em parceria com os apicultores e, desde 2014, realiza capacitações na área

19 Jul 2020 - 08h00Por Da Redação
Tecnologia da Epagri para substituir abelhas rainhas pode aumentar produção de mel em até 200% - Crédito: Divulgação / Epagri Crédito: Divulgação / Epagri

A Epagri e os apicultores estão de olho no reinado das colmeias. Para elevar a produção e tornar a atividade ainda mais sustentável, novas abelhas rainhas são introduzidas para assumir o comando. Elas são jovens e selecionadas a partir de características como alta produtividade, resistência a pragas e doenças e comportamento higiênico, reduzindo significativamente a mortalidade das colônias no inverno. A tecnologia é resultado de pesquisas da Epagri, que selecionou as rainhas em parceria com os apicultores e, desde 2014, realiza capacitações na área.

Uma colmeia com rainha nova produz aproximadamente 30% a mais de mel. Quando a rainha é jovem e selecionada, a produção pode aumentar em até 200%. A Epagri estima que essa tecnologia tenha sido aplicada por cerca de 3 mil apicultores em 12 mil colmeias do estado em 2019, gerando um incremento de 64t de mel, que equivalem a cerca de R$ 932 mil.

Outra vantagem é que, com rainhas jovens e selecionadas, o índice de infestação pelo ácaro Varroa destructor cai de 6% para apenas 1% a 2%. Essa é uma das práticas recomendadas para manter a sanidade dos apiários, dispensando o uso de produtos para controlar pragas e doenças e garantindo um alimento mais seguro. O meio ambiente ainda sai ganhando com o aumento da população de abelhas para a polinização.

Programa do Estado oferece subsídio pra a compra de abelhas rainhas

Os apicultores podem selecionar as próprias rainhas ou comprá-las. Um programa da Secretaria da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural, que oferece subsídio para a aquisição, já forneceu 9,1 mil rainhas desde 2016. Os criadores credenciados para comercializar pelo programa seguem a metodologia da Epagri e os compradores devem estar habilitados tecnicamente para a substituição.

A apicultora Fabrícia Wernke, de Orleans, gera uma renda extra com a venda de rainhas dentro e fora do programa. Ela tem mil colmeias para produção orgânica de mel e sabe da importância dessa tecnologia. “Todos os anos, analiso o resultado de cada colmeia e, se a produção não vai bem, substituo a rainha. Agora também forneço para outros produtores”, conta. Em 2019, a família vendeu 1,4 mil princesas, rainhas e núcleos. “Isso nos impulsiona e ajuda a permanecer no setor”, diz.


Quer ser o primeiro a saber das notícias de Jaraguá do Sul e Região?CLIQUE AQUIe receba diretono seu WhatsApp! 

Matérias Relacionadas

Segurança

GAECO deflagra operação para combater facção criminosa em Joinville

Foram cumpridos oito mandados de prisão preventiva e 30 mandados de busca e apreensão. Todos os crimes investigados seriam em benefício de organização criminosa.
GAECO deflagra operação para combater facção criminosa em Joinville
Política

Acostamento na BR-280 depende de busca por recursos, informa Dnit

Assunto foi discutido na sessão da Câmara de Jaraguá do Sul nesta semana
Acostamento na BR-280 depende de busca por recursos, informa Dnit
Segurança

Corpo decapitado é encontrado em Balneário Barra do Sul

O corpo seria de um jovem de 21 anos com registro de desaparecimento.
Corpo decapitado é encontrado em Balneário Barra do Sul
Política

Bolsonaro estará em Joinville na sexta

No dia seguinte, sábado (7), Bolsonaro participa de uma motociata em Florianópolis
Bolsonaro estará em Joinville na sexta
Ver mais de Santa Catarina