Unimed - Capa
Geral

TRANSPARÊNCIA: Fecomércio SC se posiciona sobre Projeto de Lei referente à divulgação de impostos nas notas fiscais

19 Nov 2012 - 20h38

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina (Fecomércio-SC)  se posiciona, por meio desta nota, sobre a aprovação do Projeto de Lei 1472/07 pela Câmara Federal nesta quarta- feira (13). O PL prevê a obrigatoriedade da identificação do valor dos tributos incidentes sobre os produtos e serviços comercializados no país. A medida caberá aos empresários do comércio e deverá estar descrita nas notas fiscais.


A Fecomércio SC reconhece os aspectos positivos do PL, sendo que o principal deles seria explicitar que no Brasil se tem uma das mais elevadas cargas de impostos do mundo, e que o ônus recai sobre o empresário e sobre o consumidor final. Mas, apesar de defender a transparência tributária, a entidade avalia que devem ser observadas as penalidades impostas de maneira genérica ao empresário que descumprir as obrigações da nova lei. Estão previstas sanções administrativas como multas, por exemplo, além da apreensão de produtos, cassação de registros, dentre outras medidas.

A generalização da pena ao empresário em caso de descumprimento da nova lei não especifica a responsabilidade (subjetiva, objetiva, culpa) à classe empresarial; não distingue a viabilidade para tal cumprimento, mediante as particularidades de cada setor; e não leva em consideração a complexidade da carga tributária incidente nos produtos, já que em muitos casos, o mesmo produto tem incidência diferenciada de impostos, de acordo com suas operações (internas, interestaduais, exportação, importação, substituição tributária).

Segundo o presidente da Fecomércio-SC, Bruno Breithaupt, a entidade "trabalhará em favor da informação detalhada e da conscientização da elevada carga tributária ao consumidor/contribuinte, mas agirá fortemente junto à sociedade civil organizada para conter o aumento do custo de produção".

Breithaupt lembrou que além dos aspectos ainda não esclarecidos, o PL poderá trazer prejuízos econômicos ao país se não houver aprimoramento do texto do projeto. "Temos a responsabilidade de colaborar para manter a inflação controlada e este projeto, embora tenha propósitos compreensíveis, onera a atividade produtiva provocando o inevitável repasse aos preços. É preciso encontrar outros mecanismos para dar conhecimento ao público sobre a carga tributária incidente nos produtos. Estamos dispostos a trabalhar soluções mais equilibradas em favor da sociedade e do comercio, juntamente com nossos parlamentares", defendeu.

Sobre o projeto

Com a entrada da futura lei em vigor, que deve acontecer após a sanção e seis meses depois de sua publicação, deverão ser identificados na nota fiscal nove tributos: Imposto de Renda, CSLL, IOF, IPI, PIS/Pasep, Cofins, Cide-combustíveis, ICMS e ISS. Também deverão constar os valores referentes ao Imposto de Importação, no caso dos produtos fabricados com mais de 20% de matéria-prima importada, além do PIS/Pasep-Importação e da Cofins-Importação. Ainda informações da contribuição previdenciária dos empregados e dos empregadores, poderão ser solicitadas em alguns casos.


Apenas para os serviços financeiros haverá a possibilidade de fixar tabelas contendo as informações sobre os tributos. Agências bancárias, por exemplo, deverão cumprir a medida em seus pontos de atendimento. O IOF deverá ser discriminado somente para os produtos financeiros, assim como o PIS e a Cofins somente para a venda direta ao consumidor.

A proposição original é de autoria do senador Renan Calheiros (PMDB-AL), e se deu por iniciativa popular que, em virtude da campanha nacional De Olho no Imposto, conseguiu reunir um abaixo-assinado contendo as assinaturas de mais de 1,56 milhões de brasileiros.

Na Câmara, a relatoria do PL ficou a cargo do deputado Guilherme Campos (PSD-SP), quando a proposta passou pela Comissão de Finanças e Tributação. Em seguida, o PL seguiu à apreciação em Plenário. 

 

Matérias Relacionadas

Geral

Cartórios já podem autenticar documentos por meio digital

Certificação de cópias passa a ser de forma online
Cartórios já podem autenticar documentos por meio digital
Geral

Equipamentos públicos prestam assistência às mulheres vítimas de violência

Os profissionais dos Creas auxiliam as mulheres vítimas de violações de direitos com encaminhamentos e orientações referentes a serviços de Saúde, Educação, Defensoria Pública, Jurídicos e outros que forem necessários
Equipamentos públicos prestam assistência às mulheres vítimas de violência
Geral

Chuva provoca alagamentos em Guaramirim; Veja fotos

Choveu mais de 124 milímetros na madrugada, causando alagamentos em diversos bairros.
Chuva provoca alagamentos em Guaramirim; Veja fotos
Geral

Caminhão pega fogo na SC 108 em Massaranduba

Ninguém se feriu
Caminhão pega fogo na SC 108 em Massaranduba
Ver mais de Geral