Imobiliária Coralli
Geral

Produção de veículos cai 9,4% no semestre e 2,6% em junho

05 Jul 2012 - 17h04

A produção de veículos (automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus) na indústria nacional chegou a 273.579 unidades em junho, queda de 2,6% frente às 280.768 fabricadas em maio. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (5) pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).


Os resultados saem dois dias depois de Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgar que o setor de veículos puxou o recuo de 0,9% na produção industrial do país em maio, na comparação com abril.

Em relação ao desempenho de junho de 2011, houve queda de 7,6%, já que naquele mês foram produzidas 296,073 mil unidades. No primeiro semestre foram fabricados 1.553.278 veículos, o que equivale a uma queda 9,4 % sobre a soma de janeiro a junho do ano passado, que registrou 1.714.767  unidades produzidas, quando foi alcançado número recorde de produção.

Vendas

Três dias depois do balanço positivo de vendas divulgado pela Fenabrave, a Anfavea também apontou crescimento de 22,9 % no licenciamento de veículos nacionais e importados na comparação mensal. No total, foram 352.200 emplacamentos no último mês, ante 287.465 em maio.

Entre janeiro e junho de 2012, com 1.716.916 veículos, houve queda de licenciamentos, que representam um recuo de 1,2% na comparação com o acumulado do mesmo período de 2011 (1.727.217 unidades). Os veículos importados chegam a 20,2% do total de emplacamentos de junho, e 22.9% dos licenciamentos do ano.

Carros e comerciais leves foi o único segmento a obter alta mensal e anual nos emplacamentos, crescendo, respectivamente, 24,2% e 18,7%. Nos primeiros seis meses, a queda foi de 0,4%.
"Foi o melhor junho da historia e o segundo melhor mês de todos os tempos (perdendo apenas para dezembro de 2010)", diz o presidente da Anfavea, Cledorvino Belini.

A mádia diária de vendas de carros foi de 17.031 contra 12.300 em maio. "Em junho, a media diária subiu 38%, ou 4,6 mil carros ao dia, sobre o que vinhamos registrando entre janeiro e maio", completou Belini.

Exportações
Já as exportações tiveram crescimento  em junho,  com 36.001 veículos, quantia 34,8% maior que os números de maio, quando 26.700 unidades foram enviadas . Na comparação com junho de 2011, a queda é 3,3%. No acumulado do ano, foi registrado queda de 12,2% com 223.154 veículos exportados contra 254.121 do mesmo período de 2011

Em valores (em bilhões), foram US$ 1,.111 em junho, contra US$ 1.041 de maio, alta de 6,7%.  No primeiro semestre, foram  US$ 6.314 sobre US$ 6.055 no mesmo período de 2011, representando crescimento de 4,3%.

Alta de produção para os ônibus
Dentro os segmentos de veículos, automóveis e comerciais leves apresentaram queda de 1,8% na produção de junho. Foram 261.333 unidades no mês contra 266.027 em maio. Em relação a junho de 2011, quando a indústria alcançou 272.103 veículos, a queda foi de 4%. Com 1.474.460 produzidas no primeiro semestre, este nicho registra queda de 7,1% frente as 1.587.531 unidades do ano passado.

A produção de caminhões caiu 22,4% em junho (8.749) comparando com as 11.275 unidades de maio. Em relação a junho de 2011 (19.775 ), o declínio foi de 55,8%. No total, o primeiro semestre de 2012 chegou a 62.926 caminhões produzidos, queda de 39,8% contra as 104.514 dos primeiros seis meses de 2011. Já o segmento de ônibus foi o único a apresentar crescimento em junho.


Com alta de 0,9%, foram 3.497 no mês contra 3.466 de maio. No entanto, comparando com junho de 2011 (4.195) houve queda de 16,6%. No acumulado, a baixa foi de 30,1%, registrando 15.892 unidades nos seis primeiros meses de 2012 e 22.722 no mesmo período de 2011. Os veículos CKD, que chegam ao país totalmente desmontados, somaram 2.603 unidades em junho - deste total, 1.968 foram automóveis.

Projeções
A Anfavea divulgaria as projeçõess para o segundo semestre nesta quinta, mas, "estrategicamente" preferiu adiar esse informativo, diz Belini. "Não vamos fazer projeção até 31 de agosto", afirma, referindo-se a data em que termina o desconto do IPI para carros.

O executivo diz que a tendência é de aumento da produção para julho. Sobre vendas, mostrando a evolucao do acumulado do ano ao longo dos meses, na comparação com 2011, Belini destacou que a queda vem se desacelerando, para "quase empatar com o ano passado", em junho (baixa de 0,9%).

"Há uma demanda reprimida que esta sendo atendida e, no segundo semestre, esperamos que a demanda em todos os setores aumente", conclui.

GLOBO.COM.BR

Matérias Relacionadas

Economia

Confiança do empresário industrial cresce pelo quinto mês consecutivo

Indicador está 3,1 pontos abaixo do registrado antes da pandemia
Confiança do empresário industrial cresce pelo quinto mês consecutivo
Geral

Lei Geral de Proteção de Dados entra em vigor

Governo ainda precisa criar Autoridade Nacional de Proteção de Dados
Lei Geral de Proteção de Dados entra em vigor
Saúde

Pesquisadores criam tecido para restaurar nervos e ossos lesionados

A descoberta poderá ajudar pessoas que têm dificuldade para realizar atividades do dia a dia e ajudar o corpo delas a se curar sozinho das lesões
Pesquisadores criam tecido para restaurar nervos e ossos lesionados
Geral

Sargento despede-se do 14º Batalhão

Sargento despede-se do 14º Batalhão
Ver mais de Geral