Mês do Trânsito - Rádio
Geral

Médicos devem suspender atendimento para 15 planos de saúde em SC e afetar 120 mil usuários

09 Jan 2012 - 21h06

Cerca de 120 mil usuários de 15 planos de saúde podem ficar sem atendimento médico a partir das 8h desta terça-feira em Santa Catarina. A paralisação ocorrerá em função do valor pago para cada procedimento médico. Enquanto os profissionais reivindicam R$ 65 para a consulta médica, por exemplo, a entidade que representa estes planos lembra do reajuste feito no mês passado.

A paralisação deve afetar principalmente os novos atendimentos, mas quem tem algum procedimento agendado a partir desta terça-feira precisa ficar atento. Caso o médico não esteja atendendo, o paciente precisará procurar outro profissional credenciado.

A União Nacional das Instituições de Autogestão em Saúde (Unidas) compreende 19 planos no Estado. São eles: Assefaz, Brasil Foods, Capesesp, Cassi, Celos, Conab, Correios Saúde, Eletrosul, Elos Saúde, Embratel, Fassincra, Funservir, Geap, Petrobrás, Proasa, Pró-Saúde Alesc, Saúde Caixa, Sesef e Tractebel Energia.

De acordo com Carlos Antônio de Oliveira Flores, superintendente para Santa Catarina da Unidas, foi feito um reajuste que varia de 16% a 21,7%, de acordo com cada plano. Com isto, o valor da consulta pago a cada profissional passou a ser de R$ 56, segundo ele.

- Fazemos o reajuste de acordo com a avaliação nos impactos de cada empresa. Chegamos a este valor depois de estudar cada detalhe - explica.

Apesar de confirmar o reajuste, o Sindicato dos Médicos de Santa Catarina reforça que a decisão foi tomada em assembleia , em 7 de dezembro, e desde então não houve avanço significativo.

- Os valores pagos para os procedimentos estão defasados. A tabela utilizada é antiga, apesar de que os valores foram reajustados na hora de cobrar dos usuários e das empresas associadas - afirma Maria Cristina Pacheco da Costa, diretora de relações institucionais do sindicato.

O Sindicato dos Médicos de Santa Catarina orientou os médicos para que atendam os pacientes do grupo Unidas mediante o pagamento do valor da consulta de R$ 65. Da mesma forma devem proceder em relação a outros procedimentos médicos. Os médicos devem emitir um recibo para que os pacientes busquem o reembolso com as operadoras.

Mas a Unidas alerta que não haverá reembolso para quem adotar esta rotina, como explica Flores.

- Trabalhamos em rede de atendimento. Quem não conseguir ser atendido pelo médico previsto, deve procurar outro credenciado. Não haverá reembolso nestes casos - diz o superintendente.

 

DIÁRIO CATARINENSE

Matérias Relacionadas

Economia

Pedidos de seguro-desemprego caem 9,3% na primeira metade de setembro

No acumulado do ano, total de requerimentos sobe 6,7%
Pedidos de seguro-desemprego caem 9,3% na primeira metade de setembro
Esportes

Organizadores de Tóquio propõem redução de funcionários nos Jogos

Também é cogitada a redução do funcionamento dos espaços para treinos
Organizadores de Tóquio propõem redução de funcionários nos Jogos
Variedades

Cultivo de Plantas Alimentícias Não Convencionais é tema de curso online da Epagri no dia 30

Não é preciso se inscrever para participar do curso, basta acessar o link no dia e hora marcados
Geral

Acidente aéreo na Ucrânia deixa pelo menos 26 mortos

Avião de transporte militar caiu durante voo de treinamento
Acidente aéreo na Ucrânia deixa pelo menos 26 mortos
Ver mais de Geral