GERAL

Acordo mantém concessão do Ibirapuera; Prefeitura terá de garantir proteção

08 Mar 2019 - 21h31Por Giovana Girardi

O Ministério Público do Estado de São Paulo, o vereador Gilberto Natalini (PV) e a Prefeitura de São Paulo fecharam um acordo nesta sexta-feira, 8, para a manutenção do processo de concessão do Parque Ibirapuera sob a condição de que o governo municipal elabore um plano diretor do parque antes de entregá-lo à iniciativa privada.

Pelo acordo, fica mantida a abertura dos envelopes nesta segunda-feira, 11, e a divulgação do nome do vencedor. Mas depois o processo fica suspenso por até seis meses, período no qual a prefeitura terá de elaborar o plano - documento que vai definir as possibilidades de uso do parque. O contrato só será assinado depois que o plano tiver sido entregue e tiverem sido resolvidas pontos considerados irregulares pelo Ministério Público.

Ó órgão e o vereador Natalini haviam entrado na Justiça com ações pedindo a suspensão e posterior anulação do processo de concessão do parque e de outras cinco unidades da cidade. A juíza Cynthia Tomé designou para esta sexta-feira, 8, uma audiência para tentativa de conciliação, na qual se chegou ao acordo entre as três partes.

Na ação civil pública do MP, o promotor de meio ambiente Carlos Henrique Prestes de Camargo argumentou que o processo de concessão não garante a proteção ao meio ambiente. Ele afirmou ainda que "as obrigações ambientais da minuta do contrato estão previstas em redação genérica, grosseiramente resumidas a: 'se obriga cumprir a legislação'", o que poderia trazer incerteza e insegurança ambientais.

"O texto é muito vago, só fala que é preciso cumprir, como se isso tivesse mesmo de ser dito em um edital público. É óbvio que tem de cumprir a lei", afirmou Camargo ao Estado, após a audiência de conciliação.

"O que queremos é uma definição melhor sobre como será protegida a fauna e a flora e também outros locais importantes, como a antiga serraria e a escola de jardinagem, que queremos que fiquem excluídos de possibilidade de uso pelo concessionário", disse.

No documento da ação civil pública, o promotor alegou que o processo "apresenta diversas irregularidades" e "implica sérios riscos socioambientais comuns a todas as áreas, objeto das concessões, como também danos específicos a cada parque".

Uma das irregularidades que precisam ser sanadas, segundo ele, é a "ausência da formulação de diretrizes mínimas de gestão pelos órgãos técnico-científicos das Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente, em especial no que tange à elaboração do Plano Diretor dos Parques e ao manejo da fauna, e da ausência de efetiva participação dos Conselhos Gestores na tomada de decisão".

Isso tudo, diz ele, pode ser previsto no plano diretor, que passará a ser discutido logo após a abertura dos envelopes. "Vamos discutir essas questões com a prefeitura, com o vereador, com a população nesses seis meses e ver se chegamos a um consenso. Se não houver um consenso sobre a proteção do Ibirapuera, pode ser anulado o certame", disse Camargo.

"A empresa não vai ganhar a concessão no escuro, como seria até agora. A prefeitura cometeu um erro gravíssimo de fazer a licitação da concessão sem dizer o que pode ou não fazer. É um erro primário que agora pode ser corrigido", completou Natalini. "Acho que o parque, o conselho gestor, a cidade, a população de São Paulo, todos ganharam com isso."

Pela proposta inicial, quem ficaria responsável pelo plano diretor era a própria empresa vencedora. "Mas é dar a decisão para a raposa sobre o que fazer com o galinheiro", afirmou o vereador.

A Prefeitura de São Paulo foi procurada pela reportagem, mas não se manifestou sobre o acordo. Disse somente, por meio de nota, que o processo de concessão do parque prossegue com a abertura dos envelopes na segunda-feira.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Geral

Promotor de Justiça verifica situação dos cabos soltos nas ruas em Jaraguá

Marcelo Cota e o secretário de Planejamento, Eduardo Bertoldi, identificaram situações de fiação irregular em Jaraguá do Sul
Promotor de Justiça verifica situação dos cabos soltos nas ruas em Jaraguá
Geral

Entra em vigor lei do teste de paternidade em parentes de suposto pai

O teste em parentes consanguíneos poderá ser autorizado por um juiz
Geral

Obras da rotatória da Bertha Weege começam na segunda-feira

Obras da rotatória da Bertha Weege começam na segunda-feira
Política

Caropreso pede que governo priorize solução para infestação de maruim

Deputado repercutiu assuntos tratados com secretário de Agricultura no norte catarinense e necessidade de reforço nas barreiras fitossanitárias
Caropreso pede que governo priorize solução para infestação de maruim
Ver mais de Geral