ECONOMIA

Economia dos EUA acelera; Europa e China freiam

16 Dez 2018 - 08h04Por Victor Rezende

A surpresa gerada por indicadores da economia dos Estados Unidos na última sexta-feira, 14, gerou um movimento de revisão para cima do Produto Interno Bruto (PIB) do quarto trimestre do país por grandes instituições financeiras. O movimento, no entanto, contrasta com o desempenho da economia global, cujo crescimento se mostra mais fraco à medida que indicadores da zona do euro e da China decepcionaram os agentes do mercado e geraram cautela quanto a um possível desaquecimento maior do que o previsto da economia mundial.

A atividade econômica e o consumo voltaram a mostrar força nos EUA no quarto trimestre à medida que investidores esperavam desaceleração mais acentuada dos indicadores no momento em que o impulso fiscal do governo de Donald Trump começa a perder fôlego. A produção industrial surpreendeu e marcou ganho de 0,6% na passagem de outubro para novembro, o mercado esperava alta de 0,3%. As vendas no varejo subiram 0,2% em novembro na comparação com o mês anterior, acima do ganho de 0,1% esperado. Além disso, as vendas de outubro foram revisadas de alta de 0,8% para 1,1%.

"A produção industrial aumentou mais do que o esperado e, com a força das vendas no varejo e da produção de serviços básicos no quarto trimestre, aumentamos nossa estimativa para o PIB do quarto trimestre", afirmaram economistas do Goldman Sachs em nota a clientes. O banco americano elevou sua estimativa para o crescimento anualizado dos EUA referente ao período entre outubro e dezembro de 2,5% para 2,7%

O Credit Suisse também elevou a projeção de crescimento de 2,2% para 2,6% no ano. "Mas o crescimento global está diminuindo e os EUA não estão imunes a essa fraqueza. Por isso esperamos que a produção industrial desacelere nos próximos meses", disse o estrategista global do banco, Jeremy Schwartz.

Desaquecimento

A crença de que a economia global vai por um caminho de desaquecimento ainda mais forte do que o projetado anteriormente ganhou força nesta sexta-feira. O índice PMI composto da zona do euro, que reúne dados de serviços e indústria, atingiu o menor nível em 49 meses, assim como o PMI composto alemão. Na França, o índice recuou de 54,2 em outubro para 49,3 na preliminar de novembro, passando a apresentar contração da atividade econômica por recuar abaixo da marca de 50 pontos.

De acordo com o economista Matthew Pennill, do Morgan Stanley, os dados recentes da zona do euro mostraram uma "significativa surpresa negativa". Para ele, contudo, os dados indicam que a atividade continua se recuperando, inclusive na França, onde os números foram influenciados pelos protestos dos coletes amarelos. Ele ressalta, ainda, que os altos e baixos temporários do ciclo de crescimento se mostram importantes para o Banco Central Europeu (BCE), "mas não são o motor fundamental da mudança de política em curso" à medida que o banco central se prepara para aumentar as taxas de juros. "Vemos a primeira elevação da taxa em outubro de 2019", afirmou Pennill.

A zona do euro, contudo, não é a única a crescer menos. Dados recentes, como produção industrial e vendas no varejo, vieram bastante abaixo do esperado, apesar do anúncio recente pelo Banco do Povo da China (PBoC, na sigla em inglês) de medidas para apoiar a economia. Essa desaceleração mais forte do que o pronunciado em solo chinês, na avaliação de economistas do Standard Chartered, fará com que o PIB do país asiático cresça 6,4% em 2019.
As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Matérias Relacionadas

Economia

Projeção de crescimento de Guaramirim atrai investimentos na construção civil

Com este desenvolvimento natural, impulsionado pela geração de vagas de emprego e importantes obras estruturais, o município também ganha um novo conceito de empreendimento, representado pelo Residencial Torres de Turim
Projeção de crescimento de Guaramirim atrai investimentos na construção civil
Economia

Sorteio da Quina de São João será neste sábado

Prêmio de R$ 170 milhões é o maior do concurso
Sorteio da Quina de São João será neste sábado
Economia

Banco Central nega possibilidade de golpe com Pix agendado

Segundo órgão, mensagem que circula na internet não passa de rumor
Banco Central nega possibilidade de golpe com Pix agendado
Economia

Governo deve anunciar prorrogação do auxílio nesta semana, diz Guedes

Ministro se reuniu com empresário na Fiesp, em São Paulo
Governo deve anunciar prorrogação do auxílio nesta semana, diz Guedes
Ver mais de Economia