Delivery Much
Variedades

Ver muita notícia ruim leva a ciclo de tristeza, ao contrário da notícia boa

Essa foi a primeira vez que os efeitos desse tipo de consumo de notícias foi observado a longo prazo

05 Mai 2019 - 06h00Por Só Notícia Boa
Ver muita notícia ruim leva a ciclo de tristeza, ao contrário da notícia boa - Crédito: Pixabay Crédito: Pixabay

Da mesma forma que ler notícia boa inspira as pessoas e melhora o dia delas, ver notícias ruins em excesso provoca efeito contrário: um ciclo de tristeza e pode levar a um problema de saúde pública: mental e física.

Um novo estudo da Universidade da Califórnia afirma que quanto mais notícias ruins uma pessoa consome, maior a probabilidade de ela ficar triste, se preocupar, e continuar lendo/assistindo notícias negativas. O foco da pesquisa, realizada nos Estados Unidos com 4165 voluntários, foram os eventos de “traumas coletivos”, como atentados terroristas e desastres naturais.

De acordo com eles, acompanhar esse tipo de acontecimento é normal e não causa problemas, desde que não se consuma notícias relacionadas a esses eventos de maneira exagerada, durante muito tempo.

“A cobertura midiática desses eventos, alimentada pelo ciclo de canais de notícias 24 horas e pela proliferação de tecnologias móveis, é muitas vezes repetitiva e pode conter imagens gráficas, vídeos e histórias sensacionalistas, estendendo o impacto a grande populações, além das pessoas diretamente envolvidas”, afirmou uma das pesquisadoras, a psicóloga Roxane Cohen Silver, à publicação da Universidade da Califórnia, em Irvine (UCI).

Pesquisa pioneira
Essa foi a primeira vez que os efeitos desse tipo de consumo de notícias foi observado a longo prazo.

“Nosso estudo é único porque é o primeiro a demonstrar o padrão [resultante] da exposição repetitiva a eventos de violência em massa, e o estresse que isso causa durante o tempo — e a ocorrência de diversos eventos — em uma grande parcela da população que foi seguida por vários anos”, contou a psicóloga Rebecca Thompson ao Gizmodo.

A equipe ressalta que acompanhar quase “obsessivamente” os desdobramento de tragédias é comum, tanto porque é fruto da curiosidade humana, quanto porque é uma forma “instintiva” de saber o que fazer para ficar seguro.

Saúde pública
Contudo, o equilíbrio é essencial, principalmente por parte dos veículos de imprensa: “Para os meios de comunicação, recomendamos moderar os aspectos sensacionalistas da cobertura noticiosa desses eventos, de modo a não provocar preocupação e angústia excessiva entre os espectadores”, recomendou Thompson.

Além disso, o estudo reafirmou o que já havia sido apontado em outras pesquisas: a exposição exagerada a notícias ruins é um problema de saúde pública. Eventos como esses causam implicações na saúde mental — e às vezes física — das pessoas:

“A exposição repetida à cobertura noticiosa de traumas coletivos tem sido associada a consequências ruins para a saúde mental — como flashbacks — nas consequências imediatas, e respostas ao estresse pós-traumático e problemas de saúde física ao longo do tempo, mesmo entre indivíduos que não experimentaram diretamente o evento”, alertou a psicóloga.

Fonte: Só Notícia Boa


Quer ser o primeiro a saber das notícias de Jaraguá do Sul e Região? CLIQUE AQUI e receba direto no seu WhatsApp!

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Saúde

Corupá confirma sexta morte por Coronavírus

A prefeitura lembra que as medidas de prevenção ao Coronavírus devem ser reforçadas por todos os moradores.
Variedades

Prestação de contas amplia chances de captação de recursos para projetos sociais

Lives do Fundo Social podem ser conferidas no canal do SESI/SC no YouTube
Prestação de contas amplia chances de captação de recursos para projetos sociais
Variedades

Fundo Social aborda nesta terça (27) Lei de Incentivo ao Esporte

Mundo

Missão japonesa fará imagens de Marte e suas luas em alta definição

Além de fazer imagens, a missão pretende coletar areia obtida em solo
Missão japonesa fará imagens de Marte e suas luas em alta definição
Ver mais de Variedades