VARIEDADES

Mobiliário também é parte importante da obra de Ruy Ohtake

26 Fev 2019 - 08h35Por Pedro Rocha - Especial para a AE

Para o arquiteto Ruy Ohtake, o mobiliário é também parte fundamental para a casa brasileira. Ao construir a residência da sua mãe, a pintora Tomie Ohtake, em 1966, ele decidiu construir, em concreto, os móveis que julgava mais fundamentais para a casa. "O que achava importante na sala decidi fazer em concreto", explica. "Fiz um sofá, a mesa de estar longa e, no corredor, estantes para ela colocar esculturas pequenas e discos."

Foi assim, segundo o arquiteto, que nasceu o conceito que ele chama de "móveis imóveis". Parte deste trabalho de Ruy também é explorado na exposição A Produção do Espaço, no Museu da Casa Brasileira.

Mas em outra mostra, intitulada O Design da Forma, em cartaz no Instituto Tomie Ohtake, este trabalho é exibido sob uma visão mais ampliada, focada nos mobiliários e objetos criados por Ruy ao longo dos anos. Desde 1995, mais especificamente, ele tem investido na produção de peças em diversos materiais, como porcelanato, madeira, aço e vidro. A exposição conta com obras originais, desenhos, modelos volumétricos e ainda vídeos e entrevistas com o arquiteto.

"Embora bastante reconhecido pela suntuosidade e ousadia de suas curvas, o arquiteto entende a produção de seus espaços de modo a extrapolar a concepção geométrica, o desenho, a definição de uma forma", afirma uma das curadoras da mostra, Priscyla Gomes, em seu texto. "Para invariavelmente conduzir a experiência daquele que percorre o espaço, propiciando surpresa e, paulatinamente, revelando a natureza mais específica de cada superfície e material." Fabio Magalhães e Marili Brandão também assinam a curadoria.

A exposição fica ao lado de uma sala, no Instituto Tomie Ohtake, que relembra a vida da mãe de Ruy e fala, também, sobre a casa da família, projetada pelo arquiteto. A conexão, segundo ele, é importante, pois os ensinamentos da mãe foram fundamentais para o seu trabalho, em qualquer que seja a vertente. "O que eu aprendi com a Tomie foi a desenvolver a intuição, se você perguntasse para ela sobre qualquer quadro que ela fez, ela não teria justificativa", afirma Ruy Ohtake. "A intuição faz você ir um passo adiante, saber andar no escuro. Foi isso e também estar sempre buscando a inovação."
As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Saúde

Cirurgias eletivas são suspensas por 20 dias em SC

Não estão suspensas as urgências e as emergências e nem os procedimentos tempo-sensíveis - aqueles em que a vida do paciente pode estar em risco
Cirurgias eletivas são suspensas por 20 dias em SC
Geral

Calendário chinês: começa o Ano do Boi

Ano Novo Lunar teve início na sexta-feira
Geral

Após serem resgatados, cães aguardam um novo lar em Guaramirim

Os animais já estão vacinados, castrados e microchipados
Após serem resgatados, cães aguardam um novo lar em Guaramirim
Geral

Scar abre inscrições para cursos gratuitos de música e dança 

Neste ano, por causa da pandemia do novo coronavírus, todos os encontros dos projetos seguem cuidados rigorosos
Scar abre inscrições para cursos gratuitos de música e dança 
Ver mais de Variedades