segunda, 15 de julho de 2019 - 22h59
(47) 3371-1010Central (47) 3372-1010Ao Vivo
Jaraguá do Sul

Delegado diz que de cada 10 ocorrências de crime pela internet em Jaraguá do Sul, 9 são de estelionato

De acordo com o delegado Luiz Carlos Gross, são vários os casos de pessoas enganadas quando vendem algum produto pela internet

12 Jul 2019 - 11h59Por Sérgio Luiz
Delegado diz que de cada 10 ocorrências de crime pela internet em Jaraguá do Sul, 9 são de estelionato - Crédito: Sérgio Luiz Crédito: Sérgio Luiz

Já pensou encontrar aquele carro que você sonha em comprar, pela metade do preço. E aquele celular supermoderno entregue na sua casa em tempo recorde e sem burocracia. Ou então, aquele TV tela grande que ficará perfeita na sua sala por um preço bem abaixo do mercado. Esses são alguns dos exemplos de ofertas disponíveis em sites de vendas bem populares que atraem muitos interessados. O problema começa quando a pessoa dá um sinal para a compra de determinado bem ou paga o produto integralmente e a mercadoria nunca chega ao destino.

O caminho inverso também ocorre, a pessoa fecha negócio, vende determinado bem e o comprador do outro lado manda uma foto do extrato de pagamento no banco, quem está vendendo determinado produto despacha a mercadoria e não vê a cor do dinheiro. Esses são exemplos de casos bem corriqueiros que acontecem aqui em Jaraguá do Sul. Tão comuns que segundo o delegado da comarca, Luiz Carlos Gross, de cada dez ocorrências de crime pela internet, nove são relacionadas a estelionato.

E os trapaceiros não estão de olho só em quem quer comprar algo. De acordo com o delegado, são vários os casos de pessoas enganadas quando vendem algum produto pela internet.

A orientação é para que as pessoas tenham bastante cuidado, pois uma vez aplicado o golpe e consolidada a compra ou a venda, dificilmente se consegue o ressarcimento do dinheiro ou do produto vendido.

Outro tipo de golpe que ocorre com bastante frequência em Jaraguá do Sul, são aqueles aplicados por telefone, e na grande maioria das vezes as ligações partem de dentro de presídios. O delegado Gross explica porque é difícil identificar que está por tras das ligações.

Portanto, em se tratando de qualquer negociação, seja no ambiente virtual ou físico, vale aquele ditado popular, “quando a esmola é demais, até o Santo desconfia”.


Quer ser o primeiro a saber das notícias de Jaraguá do Sul e Região? CLIQUE AQUI e receba direto no seu WhatsApp!