Unimed
Saúde

Vilões ou salvadores: Porquê pesquisas se contradizem quando o assunto é alimentação

Com a constante mudança em relação aos benefícios de alguns alimentos a refeição se torna um desafio

24 Mar 2019 - 16h00Por Digital Trix
Vilões ou salvadores: Porquê pesquisas se contradizem quando o assunto é alimentação -

Sempre vemos novas pesquisas relacionadas à alimentação e a saúde. Na última semana o ovo mais uma vez foi considerado vilão para a o coração, segundo um estudo publicado na Journal of the American Medical Association. Porém, em outro momento já "comprovaram" que o alimento poderia até ajudar na questão cardiovascular. O mesmo já aconteceu com o vinho, o café, manteiga e chocolate, que hora são chamados de vilões e outra de mocinhos. O cardiologista Diego Garcia explica que a comunidade científica sempre está se aprofundando no tema, mas que nem toda pesquisa deve ser levada como uma resposta definitiva.

Da mesma forma que devemos duvidar de pesquisas que colocam certo alimento como o grande vilão para o coração, também temos que ficar com o pé atrás daqueles que dizem ser milagrosos. "Essa polaridade nas pesquisas acontecem porque há muitos fatores que alteram um estudo. Há algumas que contam com um pequeno tamanho amostral e metodologias duvidosas".

No caso do ovo, acredita-se que o consumo da gordura presente possa aumentar o colesterol ruim no corpo e por consequência elevaria o risco de infarto agudo do miocárdio e acidente vascular encefálico.

Diante de tanta divergência, é comum que as pessoas se sintam cada vez mais confusas na hora de fazerem escolhas saudáveis. No quesito cardiovascular, a regra é ter moderação, escolher alimentos com baixo teor de gordura, carboidrato e sódio. O excesso desses alimentos pode resultar em hipertensão arterial, obesidade, diabetes e aumentar o nível do colesterol, fatores de risco que estão associados à probabilidade de desenvolver doenças cardiovasculares.

Diego ainda explica que o ideal é que um cardápio balanceado seja desenvolvido por especialistas para cada indivíduo. "Fatores como idade, estilo de vida, preferências pessoais e problemas de saúde devem ser levados em conta na hora de fazer um planejamento alimentar. Cada pessoa possui uma necessidade específica, portanto a avaliação por um profissional da área é fundamental para elaboração de uma dieta personalizada", explica.

Também é válido lembrar que apesar da alimentação ter um grande peso para quem busca uma vida mais saudável, ela deve ser associada a outros hábitos saudáveis, como a prática de exercícios físicos regulares e não fumar. "Não faz sentido parar de comer ovo e continuar com outras atitudes prejudiciais para a saúde. O cigarro e uma vida sedentária, por exemplo, podem aumentar significativamente a chance de desenvolver um problema cardíaco", finaliza Diego.


Quer ser o primeiro a saber das notícias de Jaraguá do Sul e Região? CLIQUE AQUI e receba direto no seu WhatsApp!

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Saúde

Guaramirim convoca idosos e profissionais da Saúde para segunda dose da vacina contra a covid

Aplicação é para os idosos que receberam a primeira dose no dia 10/04 e trabalhadores da Saúde no dia 08/04
Guaramirim convoca idosos e profissionais da Saúde para segunda dose da vacina contra a covid
Saúde

Homem de 69 anos morre vítima que covid-19 em Jaraguá

Ao todo, já são 275 óbitos no município por conta da doença.
Homem de 69 anos morre vítima que covid-19 em Jaraguá
Saúde

Governo do Estado lança boletim epidemiológico semanal sobre Covi-19

Documento traz dados e projeções da pandemia em Santa Catarina
 Governo do Estado lança boletim epidemiológico semanal sobre Covi-19
Saúde

Covid-19: Pfizer anuncia doação de vacinas para atletas olímpicos

Início do megaevento foi remarcado para 23 de julho de 2021
Ver mais de Saúde