Delivery Much
POLÍTICA

Dodge sinaliza estar disponível para continuar na PGR se Bolsonaro a indicar

18 Mai 2019 - 12h36Por Célia Froufe

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, sinalizou estar disponível a continuar no cargo caso seja um desejo do presidente da República, Jair Bolsonaro. Raquel já anunciou que não se candidatará à reeleição, mas explicou neste sábado a jornalistas que se fosse indicada por Bolsonaro, teria uma posição "bastante tranquila".

"Continuo a serviço da minha instituição e do meu País", afirmou, após participar em Londres do Brazil Forum UK, congresso anual realizado por estudantes brasileiros da London School of Economics (LSE) e da Universidade de Oxford. O momento atual, segundo ela, é a de respeitar a decisão que será tomada e que de acordo com Raquel, seja boa para o País.

A Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR) encerrou na última quarta-feira (15) o prazo para integrantes do Ministério Público se inscreverem como candidatos ao cargo de procurador-geral da República e Raquel não se candidatou. Seu mandato atual termina em setembro.

Indicada para o cargo em 2017 pelo então presidente Michel Temer, Raquel Dodge poderá ser reconduzida para um novo mandato de dois anos caso seja indicada por Bolsonaro, já que o presidente não é obrigado a escolher algum dos nomes dos candidatos. A nova eleição acontece no dia 18 de junho. Deputados do Centrão defendem que Dodge continue no cargo e temem um possível nome "linha-dura" de Bolsonaro.

Coaf

Ela também falou sobre a transferência do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) do Ministério da Justiça para o Ministério da Economia. Raquel disse acreditar que mesmo em outro ministério continuará a ser instrumento importante contra a corrupção.

Para ela, o ator mais importante a se pronunciar sobre essa questão é o Congresso Nacional. "O Coaf poderia ser mais eficiente estando em outro ministério? Poderia. Mas acho que vai continuar dando a resposta necessária onde quer que esteja para que os atores do sistema de Justiça possam fazer as investigações decorrentes", afirmou.

Na opinião da procuradora, o órgão estaria mais bem instalado na pasta da Justiça porque teria mais aporte estrutural e mais foco dentro das questões que estão ligadas ao combate à corrupção. "Mas nada do que uma boa conversa com o ministro da Economia (Paulo Guedes) não possa resolver", considerou.

Não há dúvidas, de acordo com Raquel, de que o mais importante feito até agora tenha sido a criação do Coaf, um conselho destinado a lutar contra a corrupção. Ela disse, porém, ver com cautela mudanças de instrumentos jurídicos ou de diminuição do papel de instituições que combatem a corrupção. "Se a proposta fosse extinguir o Coaf, aí eu estaria preocupadíssima", disse.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Política

Rodrigo Livramento fala sobre início de mandato no Legislativo jaraguaense

A partir desta semana a Rádio Jaraguá realiza entrevistas com os vereadores de Jaraguá do Sul
Rodrigo Livramento fala sobre início de mandato no Legislativo jaraguaense
Política

Câmara de Jaraguá transfere veículo não utilizado para a Prefeitura

A decisão busca maior eficiência no uso do dinheiro público
Política

Prefeito de Massaranduba, Armindo Sésar Tassi, fala sobre inicio do mandato

Tassi participou ao vivo do Diário da Jaraguá desta sexta-feira (15)
Prefeito de Massaranduba, Armindo Sésar Tassi, fala sobre inicio do mandato
Política

Prefeitura de Jaraguá anuncia novos nomes do primeiro escalão

Os quatro novos integrantes da equipe comandarão as secretarias de Desenvolvimento Econômico, da Transparência e Integridade, e de Desenvolvimento Rural e Agricultura, bem como a Fundação Jaraguaense de Meio Ambiente
Prefeitura de Jaraguá anuncia novos nomes do primeiro escalão
Ver mais de Política