Delivery Much
POLÍTICA

Comissão suspende sessão e votação de MP dos ministérios fica para amanhã

08 Mai 2019 - 18h22Por Daniel Weterman

A votação da medida provisória que reestruturou os ministérios no governo do presidente Jair Bolsonaro foi adiada para esta quinta-feira, 9. A sessão da comissão mista do Congresso que discute a norma foi suspensa por causa do início da chamada ordem do dia no plenário da Câmara, que reúne as proposições em pauta na Casa.

De acordo com o presidente da comissão, deputado João Roma (PRB-BA), o colegiado poderá votar amanhã primeiro o parecer do relator, senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), e depois analisar os requerimentos que pedem mudanças no relatório. Os partidos do Centrão e a oposição tentam tirar o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) do Ministério da Justiça e Segurança Pública e devolver o órgão ao Ministério da Economia.

Também há requerimentos para eliminar a restrição a investigações conduzidas por auditores da Receita Federal. Além disso, há pedidos para que a demarcação de terras indígenas fique com a pasta da Justiça.

Pelo parecer, o governo recriaria dois ministérios: o das Cidades e o da Integração Nacional, desmembrando o atual Ministério do Desenvolvimento Regional. Houve outras alterações em relação ao texto original do governo: a volta do registro sindical do Ministério da Justiça e Segurança Pública para a Economia; a recriação do Conselho de Segurança Alimentar (Consea) para ser inserido no Ministério da Cidadania; e a volta da Fundação Nacional do Índio (Funai) para a pasta da Justiça.

Receita e ONGS

O relatório de Bezerra prevê que a competência dos auditores da Receita se limitará, na esfera criminal, à investigação de crimes tributários ou relacionados ao controle aduaneiro, o que já vinha sendo discutido no Fisco.

O parecer determinou ainda que, fora crimes tributários ou aduaneiros, o auditor precisará de uma ordem judicial para compartilhar qualquer informação de indício de crime com órgãos ou autoridades. Isso causou reações contrárias no próprio PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro, e na oposição. Integrantes do Centrão, por outro lado, defenderam o item.

O relator retirou do texto da MP a atribuição da Secretaria de Governo de supervisionar e monitorar atividades de organismos internacionais e organizações não governamentais, mas alterou o texto mantendo o governo com o papel de "acompanhar as ações e verificar o cumprimento da legislação" pelas organizações, o que gerou reações contrárias de ONGs.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Política

Após período de férias, atendimento volta ao normal na Prefeitura de Jaraguá

Após período de férias, atendimento volta ao normal na Prefeitura de Jaraguá
Política

Ouça a entrevista dos vereadores do PP

Maria Santin Camello e Anderson Kassner participaram ao vivo do Diário da Jaraguá desta segunda-feira (25)
Ouça a entrevista dos vereadores do PP
Política

Biden vai pedir quarentena a passageiros internacionais

Ele pediu ainda o uso de máscaras em transportes entre os estados
Política

Plenário da Alesc revoga prisão e afastamento do deputado Julio Garcia

Deputados aprovaram projeto que revogou os efeitos das decisões da juíza federal Janaína Cassol Machado que determinavam a prisão preventiva domiciliar e o afastamento de Julio Garcia (PSD) tanto do cargo de presidente da Alesc quanto do mandato
Plenário da Alesc revoga prisão e afastamento do deputado Julio Garcia
Ver mais de Política