transito
POLÍTICA

Bolsonaro: Congresso agiu 'legitimamente' em votação sobre reforma administrativa

29 Mai 2019 - 14h47Por Amanda Pupo

O presidente da República, Jair Bolsonaro, afirmou nesta quarta-feira, 29, que o Congresso Nacional agiu "legitimamente" na votação que aprovou a reforma administrativa do governo com ajustes, retirando o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) das mãos do ministro Sérgio Moro, que comanda a pasta de Justiça e Segurança Pública. "Parlamento agiu legitimamente", disse Bolsonaro a jornalistas, acrescentado que irá "sancionar tudo". "Coaf continua no governo, é a mesma coisa", respondeu.

As declarações foram dadas à imprensa após sair de uma visita do Ministério da Defesa, onde participou de um almoço da Marinha.

É o segundo compromisso fora da agenda oficial do presidente nesta quarta-feira, que mais cedo foi a pé do Planalto até o Congresso Nacional.

Quando questionado se pensa em fazer um decreto para alterar a situação do Coaf, Bolsonaro deu a entender que não, sinalizando negativamente, e emendou a frase: "Vou sancionar tudo aí."

Na terça, 28, o Senado aprovou o texto da reforma administrativa efetuada por Bolsonaro no início do ano através de Medida Provisória, que reduziu de 29 para 22 ministérios, e havia colocado o Coaf sob o comando da Justiça.

O Congresso, no entanto, através de votações primeiro na Câmara e depois no Senado, transferiu o conselho para o Ministério da Economia.

Matérias Relacionadas

Política

Futuro secretário de Saúde diz que paciente precisa ter problema resolvido o mais rápido possível

Rogério Luiz da Silva assumirá a Secretaria de Saúde de Jaraguá do Sul nos próximos dias
Futuro secretário de Saúde diz que paciente precisa ter problema resolvido o mais rápido possível
Saúde

Prefeito anuncia novo secretário de Saúde de Jaraguá do Sul

Médico que atua há 27 anos no serviço público assumirá o cargo na semana que vem
Prefeito anuncia novo secretário de Saúde de Jaraguá do Sul
Segurança

Congresso derruba vetos de Lula e volta a proibir 'saidinha' de presos

A decisão dos parlamentares restringe ainda mais as saidinhas, porque também proíbe que os detentos deixem os presídios temporariamente para visitar a família
Congresso derruba vetos de Lula e volta a proibir 'saidinha' de presos
Política

PL de Guaramirim amplia conversa com partidos e com a comunidade

Sigla conta com o apoio do PRD, PSDB e Republicanos
PL de Guaramirim amplia conversa com partidos e com a comunidade
Ver mais de Política