Campanha Multivacinação
POLÍTICA

Ayres Britto: prisão de Temer é 'impactante' e País vive 'estresse político'

21 Mar 2019 - 14h17Por Amanda Pupo

Carlos Ayres Britto, ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou nesta quinta-feira (21) que a notícia da prisão do ex-presidente Michel Temer é "impactante". Para ele, o fato de haver dois ex-presidentes do Brasil presos - Luiz Inácio Lula da Silva e agora Temer - mostra que o Brasil atravessa um período delicado, mas também disposto a se repaginar no "princípio da moralidade".

Ayres Britto ressalvou que ainda não conhece os motivos da prisão e que ela precisa estar fundamentada. "Eu sou muito cuidadoso nessas análises de coisas que são impactantes, é evidente, um ex-presidente da República, um constitucionalista. Tão logo saia daqui vou me inteirar das coisas", disse o ex-ministro, que estava em evento no Superior Tribunal da Justiça (STJ), em Brasília.

Ayres Britto ressaltou que a prisão de dois ex-chefes do Executivo brasileiro aponta que o País atravessa um clima de estresse "político, civil, jurídico", mas que, por outro lado, se a prisão "se fez necessária para materializar o princípio da moralidade", mostra também que a democracia vive de aperfeiçoamento constante e ininterrupto.

"Isso dá conta de o Brasil, por um prisma, atravessa período muito delicado, por outro, se houver mesmo fundamento para a prisão, que o Brasil está disposto a se repaginar na perspectiva notadamente do princípio da moralidade", disse. "Ainda estou digerindo, tentando digerir essa notícia, quero saber dos motivos, quem foi que decretou, quais os fundamentos", completou o ex-ministro, que foi presidente do STF.

No evento em que Ayres participava, com a presença de ministros da Suprema Corte, STJ, membros da advocacia e do Ministério Público, a notícia pegou convidados de surpresa, segundo relatos. O presidente do STF, ministro Dias Toffoli, e a Procuradora-Geral da República, Raquel Dodge, também estavam presentes, mas não falaram com a imprensa.

Questionado sobre o fato de haver dois ex-presidentes presos, o presidente da Associação Nacional dos Procuradores da República, José Robalinho, comentou que para o País é sempre ruim, mas ressaltou ser "sempre bom" ver a Justiça funcionando. "Tem que funcionar perante todos, mas não tenho detalhes, estava aqui quando fiquei sabendo", completou.

O ex-ministro do STF Sepúlveda Pertence, que atuou na defesa do ex-presidente Lula, também comentou a prisão de Temer, dizendo estar "espantado", apesar de ressalvar também que não conhece a decisão. "Apenas estou espantado neste momento inicial do eventual processo contra o ex-presidente. Enfim, é mais uma surpresa desses tempos estranhos, como diria o ministro Marco Aurélio Mello. É triste (ver dois ex-presidentes presos). O primeiro, eu participei da sua defesa e considero uma condenação arbitrária, marcada pelo ódio político que se dedica ao ex-presidente Lula. Não sei o que terá feito decretar, tão rapidamente, há tão poucos dias de ter deixado a Presidência, a prisão do ex-presidente Michel Temer", observou.

Matérias Relacionadas

Política

Confira quem são os candidatos ao governo de Santa Catarina

No estado, dez candidatos concorrem ao cargo de governador
Confira quem são os candidatos ao governo de Santa Catarina
Política

Saiba quem são os candidatos à Presidência nas eleições 2022

Prazo para registro de candidaturas terminou ontem
Saiba quem são os candidatos à Presidência nas eleições 2022
Política

Antídio lança campanha a deputado estadual nesta terça-feira

Para marcar este novo momento político, o staff do empresário promoverá um adesivaço em Jaraguá
Antídio lança campanha a deputado estadual nesta terça-feira
Política

Propaganda eleitoral começa em 16 de agosto e horário gratuito no rádio e TV no dia 26

Confira as principais regras para as eleições de 2022
Propaganda eleitoral começa em 16 de agosto e horário gratuito no rádio e TV no dia 26
Ver mais de Política