Joaçaba Pneus
POLÍTICA

Auditores reagem à ideia de restringir atuação da Receita

25 Fev 2019 - 08h38Por Adriana Fernandes

A movimentação de congressistas e ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) para elaborar um projeto de lei que limite os poderes de fiscalização da Receita Federal provocou indignação entre os fiscais do órgão, que prometem uma grande mobilização no País para barrar o avanço da articulação.

O Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais (Sindifisco) buscará apoio da sociedade e do Ministério Público para impedir que algum projeto desse tipo seja aprovado. A ofensiva contra o modelo de atuação do Fisco está sendo chamada na Receita de "projeto mordaça".

Como mostrou reportagem do jornal "O Estado de São Paulo" publicada no domingo, o vazamento de dados sobre uma investigação tributária envolvendo o ministro Gilmar Mendes, do STF, gerou um movimento para mudar a legislação sobre a Receita de forma a limitar seus poderes.

Durante almoço na semana passada, ministros da Corte reprovaram a atuação da Receita, que elaborou relatório apontando possíveis atos de "corrupção, lavagem de dinheiro, ocultação de patrimônio ou tráfico de influência por parte do ministro Gilmar Mendes e familiares". Dos 11 ministros, sete estavam no encontro.

O projeto de lei para impor limites à atuação do Fisco vem sendo discutido em conversas reservadas de ministros com parlamentares.

Para o presidente do Sindifisco, Kléber Cabral, a articulação é preocupante. "É curiosa a tentativa, porque a lei autoriza o que a Receita faz", afirmou. "Se houvesse alguma questão de descumprimento da lei, o Judiciário teria se manifestado."

O secretário da Receita, Marcos Cintra, está sendo cobrado pelos sindicalistas a fazer uma declaração contundente de apoio ao trabalho de investigação do órgão, o que não aconteceu até agora. Cintra tem atuado para diminuir a temperatura da crise, que ameaça ganhar proporções maiores se o projeto for apresentado no Congresso.

Para Mauro Silva, diretor da Associação Nacional dos Auditores Fiscais (Unafisco), o movimento, que partiu do Judiciário, fere o princípio de equilíbrio entre os Poderes. "Os poderosos não são as únicas forças políticas", afirmou ele, que aposta numa mobilização para garantir o trabalho de fiscalização da Receita. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Política

Vereadores de Jaraguá conhecem Procuradoria da Mulher em Balneário Camboriú

A Procuradoria do Legislativo de Balneário é ocupada preferencialmente por vereadoras eleitas e foi criada em 2019 com o objetivo de receber, avaliar e investigar denúncias de violação dos direitos da mulher
Vereadores de Jaraguá conhecem Procuradoria da Mulher em Balneário Camboriú
Política

Projeto de Lei "Adote uma Área de Lazer", promove a revitalização de espaços públicos em Jaraguá

Proposta permite o envolvimento da iniciativa privada para cuidar da manutenção das áreas.
Projeto de Lei "Adote uma Área de Lazer", promove a revitalização de espaços públicos em Jaraguá
Política

Governadores de SC, PR, RS e MS debatem planejamento para os próximos 20 anos

A reunião foi realizada no Palácio Piratini, sede do Governo do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre, e também teve a participação dos secretários estaduais da Saúde
Governadores de SC, PR, RS e MS debatem planejamento para os próximos 20 anos
Política

Vereadores mirins de Jaraguá iniciam curso de argumentação e oratória

O evento acontece de forma online e ainda conta com mais duas datas nos dias 21 e 28 de junho.
Vereadores mirins de Jaraguá iniciam curso de argumentação e oratória
Ver mais de Política