CMJS - Novembro
Política

Após ‘derrota’ na CCJ, governo aceita negociar outros pontos da reforma da Previdência

Comissão adia votação do parecer da Previdência para terça-feira (23)

18 Abr 2019 - 07h40Por João Paulo Machado / Cintia Moreira / Agência do Rádio
Após ‘derrota’ na CCJ, governo aceita negociar outros pontos da reforma da Previdência - Crédito: Agência do Rádio Crédito: Agência do Rádio

A votação do texto da reforma da Previdência na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados foi adiada, mas as negociações em torno dos pontos da proposta seguem a todo vapor.

O secretário da Previdência do ministério da Economia, Rogério Marinho se reuniu nesta quarta-feira (17) com parlamentares integrantes do chamado “centrão” para discutir alterações no texto da PEC e, assim, formar consenso para a aprovação da medida na CCJ.

“Nós iniciamos um diálogo, nós acreditamos que a comissão (CCJ) é uma comissão de mérito constitucional, não existe meio acordo, o acordo tem de ser feito por inteiro. Vamos continuar a conversar, se o acordo for efetivamente celebrado até sexta-feira (19) ou até segunda-feira (22), terça-feira (23) a votação se dará sem obstrução e nós seguiremos para a comissão de mérito”, afirmou Marinho.

Líder do PP na Câmara, o deputado Arthur Lira (AL), que participou da reunião disse que já existe um acordo sobre quatro pontos a serem retirados da reforma: a universalização na Justiça Federal do Distrito Federal como foro nacional para propositura de ações do INSS, a aposentadoria compulsória, a multa de 40% do FGTS e a iniciativa privativa do Executivo de propor alterações na reforma previdenciária.

“Vamos ter uma discussão ainda sobre o abono. Não está acertado. O secretário Rogério Marinho fez um apelo, porque dá uma alteração de quase 15% no valor total da Previdência, e ninguém quer criar dificuldades sem que tenhamos os números completos.”

Além de Arthur Lira, participaram da reunião o presidente da CCJ, Felipe Francischini (PSL-PR), o relator da reforma da Previdência no colegiado, Marcelo Freitas (PSL-MG), a Vice-líder da CCJ, Bia Kicis (PSL-DF), além dos líderes do PSL, delegado Waldir (GO), e do Novo, Marcel Van Hattem (RS). A expectativa do governo é de que a PEC da Previdência seja votada na CCJ da Câmara na terça-feira (23) da próxima semana.

CCJ adia votação do parecer da Previdência para terça-feira (23)

Depois de muito bate-boca entre os parlamentares que estavam na CCJ para analisar se Reforma da Previdência é constitucional ou não, o presidente da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ), Felipe Francischini (PSL-PR), adiou a reunião desta quarta-feira (17). De acordo com o parlamentar, a discussão vai ser retomada na próxima terça-feira (23).

“Pelo o que eu ouvi falar, o presidente só marcaria o início dos trabalhos da comissão especial no dia 7. Então, não há nenhum prejuízo de conceder esta questão, a pedido dos líderes e do relator para terça-feira, semana que vem, para que o relatório seja costurado da melhor maneira possível. Então, vou conceder o pedido e vou encerrar a presente reunião para que possamos retornar na terça-feira que vem.”

O relator, deputado Marcelo Freitas (PSL-MG), deve se reunir com parlamentares e líderes partidários para analisar eventuais mudanças em seu parecer.

“Nós entendemos - continuamos a entender - que a proposta apresentada pelo governo é absolutamente constitucional. Nós estudamos profundamente o assunto. Mas vamos, realmente, discutir com os líderes e encontrar aquilo que for melhor para o país. Então, estamos fazendo a coisa de maneira absolutamente coerente e responsável, para que nada seja feito de atropelo e que o Parlamento seja respeitado, obviamente, sem desidratar a Proposta de Emenda Constitucional apresentada pelo governo.”

A PEC apresentada pelo governo pretende reformar o sistema de Previdência Social para os trabalhadores do setor privado e para os servidores públicos de todos os Poderes e de todos os entes federados, que incluem União, estados e municípios. Pelo texto atual, a idade mínima para aposentadoria será de 65 anos para homens e 62 para mulheres.


Quer ser o primeiro a saber das notícias de Jaraguá do Sul e Região? CLIQUE AQUI e receba direto no seu WhatsApp!

Matérias Relacionadas

Guaramirim

Cartório Eleitoral realiza plantão para cadastramento biométrico

Local estará aberto em dois sábados, dias 23 e 30, para atender eleitores
Cartório Eleitoral realiza plantão para cadastramento biométrico
Jaraguá do Sul

Francisco Alves assume cadeira no Legislativo jaraguaense

Francisco Alves assume cadeira no Legislativo jaraguaense
Jaraguá

Vereador Juraszek fará reunião por fábrica de fraldas

A intenção é que o modelo seja replicado em Jaraguá e que gere uma economia de cerca de R$ 50 mil na compra de fraldas pela Prefeitura jaraguaense.
Vereador Juraszek fará reunião por fábrica de fraldas
Política

Vereadores rejeitam projeto que pretendia implantar Código Ética na Câmara de Jaraguá

A proposta recebeu cinco votos favoráveis (Anderson Kassner, Celestino Klinkoski , Eugênio José Juraszek, Marcelindo Carlos Gruner e Pedro Anacleto Garcia), quatro abstenções (Arlindo Rincos, Isair Moser, Ronaldo Magal e Rogério Jung) e um voto contrário
Vereadores rejeitam projeto que pretendia implantar Código Ética na Câmara de Jaraguá
Ver mais de Política