POLÍTICA

Aliado de Macris diz que PSL quer ganhar comando da Alesp no 'tapetão'

14 Mar 2019 - 21h09Por Mateus Fagundes

O deputado estadual reeleito Campos Machado (PTB-SP) afirmou nesta quinta-feira, 14, em nota, que o PSL quer vencer no "tapetão" a disputa pelo comando da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp).

Mais cedo, o futuro líder do PSL na Alesp, Gil Diniz, entrou com um mandado de segurança para tentar impedir a candidatura do deputado reeleito Cauê Macris (PSDB) à presidência da Alesp. Ele é correligionário de Janaína Paschoal, candidata ao cargo. A eleição ocorre amanhã, após a posse dos deputados estaduais.

"É uma iniciativa infame. Coisa de mau perdedor, que tenta ganhar no tapetão o que não tem competência para ganhar no voto", rebateu Machado, aliado de Macris.

No pedido de liminar, Diniz argumenta que o artigo 11 da Constituição Estadual, que trata da eleição dos membros da Mesa Diretora da Assembleia, estabelece que "é vedada a recondução para o mesmo cargo na eleição imediatamente subsequente", ou seja, a reeleição.

O processo foi distribuído ao desembargador do Órgão Especial do Tribunal de Justiça de São Paulo Antonio Celso Aguilar Cortez.

Cauê foi eleito presidente da Casa para o biênio 2017-2019 e é o favorito para se reeleger amanhã. Ele aglutinou o apoio das bancadas do PT e do PSB, rivais dos tucanos na última eleição estadual.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Política

PP convida Antídio Lunelli para ser candidato a governador de SC

O presidente estadual da sigla, deputado Silvio Dreveck, o presidente municipal Ademir Izidoro e os vereadores Anderson Kassner e Maria Santin Camelo estiveram com Lunelli para oficializar o convite
PP convida Antídio Lunelli para ser candidato a governador de SC
Política

Código de Ética passa pela primeira votação na Câmara de Jaraguá

O Código estabelece os princípios éticos e as regras básicas de decoro que devem orientar a conduta dos parlamentares
Código de Ética passa pela primeira votação na Câmara de Jaraguá
Política

Bolsonaro: auxílio deve voltar em março, com parcelas de R$ 250

Benefício, segundo o presidente, deve ser pago por quatro meses
Bolsonaro: auxílio deve voltar em março, com parcelas de R$ 250
Política

Governo do Estado encaminha à Alesc projeto para recuperação fiscal

Ver mais de Política