Delivery Much
POLÍTICA

Alexandre de Moraes recua após constatar que reportagem não é 'fake news'

18 Abr 2019 - 19h38Por Rafael Moraes Moura, Luiz Vassallo e Fausto Macedo

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu nesta quinta-feira, 18, revogar a decisão dele mesmo que havia censurado a revista digital "Crusoé" e o "Antagonista". Segundo o ministro, "comprovou-se que o documento sigiloso citado na matéria realmente existe, apesar de não corresponder à verdade o fato que teria sido enviado anteriormente à PGR para investigação". Ou seja, a reportagem não é "fake news".

"Na matéria jornalística, ou seus autores anteciparam o que seria feito pelo MPF do Paraná, em verdadeiro exercício de futurologia, ou induziram a conduta posterior do Parquet; tudo, porém, em relação a um documento sigiloso somente acessível às partes no processo, que acabou sendo irregularmente divulgado e merecerá a regular investigação dessa ilicitude", observou o ministro em sua decisão.

Segundo a reportagem apurou, Moraes entrou em contato com o presidente da Corte, ministro Dias Toffoli, antes de derrubar a censura. Ao longo dos últimos dias, os dois foram bombardeados por críticas de entidades da sociedade civil, de integrantes do Congresso Nacional e da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), que condenaram a remoção do conteúdo jornalístico.

"A existência desses fatos supervenientes - envio do documento à PGR e integralidade dos autos ao STF - torna, porém, desnecessária a manutenção da medida determinada cautelarmente, pois inexistente qualquer apontamento no documento sigiloso obtido mediante suposta colaboração premiada, cuja eventual manipulação de conteúdo pudesse gerar irreversível dano a dignidade e honra do envolvido e da própria Corte, pela clareza de seus termos", escreveu Moraes.

A decisão foi divulgada depois de o decano do STF, ministro Celso de Mello, divulgar mensagem em que reafirma que qualquer tipo de censura - mesmo aquela ordenada pelo Poder Judiciário - é "prática ilegítima" e, além de intolerável, "constitui verdadeira perversão da ética do Direito".

Na última quarta-feira, 17, em entrevista à reportagem, o ministro Marco Aurélio Mello havia chamado de "censura" e "retrocesso" a decisão anterior de Moraes que havia determinado a remoção do conteúdo jornalístico.

A avaliação de integrantes do STF é de que o plenário da Corte poderia derrubar a censura, se o caso fosse levado ao colegiado.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Política

Jonathan Reinke fala sobre início do mandato na Câmara de Jaraguá

Parlamentar participou ao vivo do Diário da Jaraguá desta terça-feira (26)
Jonathan Reinke fala sobre início do mandato na Câmara de Jaraguá
Política

Maria Rosana assume vaga na Câmara de Guaramirim

Ela assume o cargo de Adilso Comin, que se licenciou para atuar na Secretaria de Agricultura do município.
Maria Rosana assume vaga na Câmara de Guaramirim
Política

Laírton Müller é escolhido como líder do Governo na Câmara de Corupá 

Definição do prefeito Luiz Carlos Tamanini foi anunciada nesta segunda-feira (25)
Laírton Müller é escolhido como líder do Governo na Câmara de Corupá 
Política

Vicente Caropreso pede novos leitos de UTI Covid para Jaraguá do Sul

Em reunião com secretário da Saúde, deputado também articula para que governo dobre repasse de recursos ao Hospital São José e que unidade possa ser referência em cardiologia pelo SUS
Vicente Caropreso pede novos leitos de UTI Covid para Jaraguá do Sul
Ver mais de Política