Dicas

Dicas 15/09/2015

16 Set 2015 - 10h36
Dicas 15/09/2015 -
Papa Francisco ensinou
“Prefira morder a língua a falar mal dos outros.”

 

Como dizermos a frase: Deixe-me-lhe fazer uma pergunta. Deixe-me lhe fazer uma pergunta. Deixe-me fazer-lhe uma pergunta?

Fique com a segunda. Além de correta, soa natural.

 

Castanha-do-Pará? Castanha-do-pará? Vejo as duas grafias. Qual delas é a correta?

Substantivo próprios quando viram comuns, perdem o pedigree. Escrevem-se com a inicial pequenina: castanha-do-pará, joão-de-barro, maria-mole, pau-brasil, malhação do Judas..

 

A CARTA JÁ FOI RESPONDIDA PELA DARLENE.

O verbo responder, como transitivo indireto não pode apresentar-se na voz passiva, muito embora esta já seja uma pratica comum no linguajar brasileiro.
Darlene já respondeu à carta.

 

VOCÊ ESTÁ QUITES COM O SERVIÇO MILITAR?

Quites se usa para o plural; quite para o singular.
Estou quite com o serviço militar.
Estamos quites com os credores.
 

MATEMÁTICA – NÚMEROS - ÂNGULOS
Há mais de mil anos, um gênio marroquino concebeu as figuras de 0 a 9 que hoje nós conhecemos como numerais arábicos. Ele moldou as figuras de tal forma que cada uma continha um apropriado número de ângulos. O número 1 contém um ângulo; o 2, dois ângulos, 3, três ângulos, etc. O zero, significando nada, não tem nenhum ângulo. Veja com eram escritos então:

 



 

EX-MULHER OU VIÚVA

Miriam Belchior era mulher de Celso Daniel, prefeito de Santo André. Em 2002, ele foi assassinado. Ela virou ex-mulher?

Não. Miriam é viúva de Celso Daniel.

 

A GROSSO MODO OU GROSSO MODO?

Iruan Ergui Wu tem 8 anos. Quando tinha 4, perdeu a mãe. Foi morar com a avó. O pai, marinheiro taiwanês, aparecia duas vezes por ano. Em 2001, levou o menino a Taiwan para conhecer a família. Lá morreu. O tio tomou uma decisão. Ficaria com o garoto na ilha do povo de olhos puxados. Não teve sorte.

Três anos depois, a Justiça ordenou a volta do chinesinho. Ele não queria. Reagiu. Chorou. Deu pontapés. Os jornais deram a notícia. Estamparam fotos dramáticas. A Zero Hora, de Porto Alegre, ouviu uma psicóloga. Ela diagnosticou: ‘‘A grosso modo, ele pode desenvolver um quadro de isolamento afetivo’’.

Leitores viram. E protestaram. A maioria sabe que a expressão é grosso modo. Assim, sem o a. A duplinha quer dizer de modo grosseiro, impreciso, aproximado: Grosso modo, Iruan pode desenvolver um quadro de isolamento afetivo.

 

COMO ESTÁ O SEU VOCABULÁRIO?
Um bom texto deve apresentar, entre outras qualidades, precisão e adequação vocabular. Devemos, portanto, tomar cuidado com o uso de algumas palavras. O respeito ao seu real significado é uma obrigação de todos nós. Muitas vezes somos surpreendidos ao abrirmos um bom dicionário: descobrimos que estamos usando algumas palavras fora do seu significado original ou de um modo inadequado.

É preciso ficar alerta. Existem palavras que parecem sinônimas, mas não são.

 

COMO SE CHAMA QUEM NASCE EM SINGAPURA?

Mágico, talvez? Afinal "Singapura" não existe!
Em tempo:
Quem nasce em Cingapura é cingapuriano.
 

SEMANA DE ARTE MODERNA

A Semana de Arte Moderna de 1922 aconteceu em apenas três dias: 13, 15 e 17 de fevereiro. O primeiro deles tratou de pintura e escultura, o segundo foi dedicado à literatura e à poesia e o terceiro dia ficou para a música. O evento, realizado no Teatro Municipal de São Paulo, foi o grande marco do Modernismo no Brasil.

 

APÓSTROFE E APÓSTROFO

Apóstrofe = interrupção que faz o orador ou escritor, dirigindo-se a coisas ou pessoas reais ou fictícias.

Apóstrofo = sinal gráfico que serve para indicar supressão de letra(s).

 

DÚVIDA

Sou bom exemplo para meu filho. Leio muito. Converso com ele. Interesso-me por seus estudos. Mas, outro dia, fiquei com a cara de pastel. Ele precisava localizar o sujeito da frase de Napoleão Bonaparte ‘‘O maior orador do mundo é o triunfo’’. Pediu-me ajuda. Como aprendi na escola, perguntei ao verbo:

— O que é que é o maior orador do mundo?

— O triunfo.

Ao consultar a chave de correção, vi que a resposta estava errada. O sujeito, segundo o livro, é o maior orador do mundo. Quem está certo?

Você fez a pergunta certa. Mas na ordem errada. Pergunte ao verbo com o que vem depois do verbo:

João ama Maria. (Quem é que ama Maria? João, sujeito.)

Eu sou o professor. (Quem é que é o professor? Eu.)

O professor sou eu. (Quem é que sou eu? O professor.)

O maior orador do mundo é o triunfo. (Que é que é o triunfo? O maior orador do mundo).
O livro está certo.

 

GABRIEL PROCUROU EM TODAS AS DOCERIAS MAS NÃO ENCONTROU SEU DOCE FAVORITO.

Se tivesse procurado pelas guloseimas em doçarias ou doceiras, poderia ter encontrado.
Em tempo:
Doceria é uma palavra inexistente em nossa língua.

 

O CAL EXTRAÍDO DE NOSSAS MINAS ...

"Cal" é um substantivo feminino.
A cal é um óxido de cálcio obtido pela calcinação de pedras calcárias.


 

INGRATIDÃO

O czar Ivan IV da Rússia, que reinou de 1533 a 1584, mandou executar na fogueira um matemático a quem pedira, apenas para divertir a corte, que calculasse o número exato dos tijolos necessários para construir determinado prédio. Ao término da obra, verificada a precisão dos cálculos, Ivan IV sentenciou o matemático à morte como bruxo, porque era dotado de estranhos e perigosos poderes.

 

PRECIOSO PRESENTE
Era uma vez um rei muito rico e muito generoso. Ele resolveu dar a um súdito seu, a exata quantia de RS 84.600,00 por dia, com a única condição de que a soma precisava ser totalmente gasta, a cada dia. As sobras não poderiam ser guardadas para o dia seguinte. O saldo credor, no final do dia, seria recolhido. Mais: a doação continuaria por tempo indeterminado, mas num belo dia, sem aviso prévio, terminaria.

É exatamente desta maneira que Deus age conosco. A cada dia ele nos concede 84.600 segundos. Trata-se de um dom precioso que dinheiro algum pode comprar. A ordem é a mesma: a cada dia precisamos gastar inteligentemente toda a quantia. Um dia, sem aviso prévio, terminará a graciosa doação do tempo.

O tempo é um presente que Deus nos dá. Não podemos levá-lo para a eternidade, mas com ele podemos preparar nossa eternidade. Precisamos usá-lo com critério porque não quanto tempo ainda teremos. E não podemos nunca contar, como no futebol, com uma eventual prorrogação. Viver o momento presente, como se fosse o único, é a suprema sabedoria. O segundo é tão rápido, mas com ele formamos as horas, os dias, os anos, os séculos. Com ele podemos até comprar a eternidade.

Como você usa o tempo que Deus lhe dá?

Quantos minutos você ocupa por dia para a leitura da Palavra de Deus, para estudar, para visitar doentes, para ver televisão?

Você agradece a Deus o presente do tempo?

 

DIAS DA SEMANA

A divisão do calendário em período de sete dias já fazia parte de algumas culturas, como é o caso da  judaica, desde a mais alta Antiguüidade. No velho Testamento, cada dia da semana é associado a uma fase da criação do mundo – o sétimo é o dia em que o Senhor descansou. A escolha de sete dias pode ter sido influenciada pelo tempo aproximado de cada uma das fases mais conhecidas da Lua. Aos poucos, o romanos também passaram a adotar o sistema, o que teria acontecido um século antes de Cristo ou, segundo alguns autores, só mais tarde, por influência dos cristãos. Mas, diferentemente dos judeus, os romanos consagraram cada dia da semana a uma divindade de sua mitologia, na seguinte sequência: deus do Sol; deusa da Lua; Marte, deusa da guerra; Mercúrio, deus da eloquência e do comércio; Júpiter, deus do raio e do trovão; Vênus, deusa do amor; e Saturno, deus do tempo. Essas divindades eram representadas pelos únicos astros que os romanos viam se movimentar no firmamento, sistema que foi seguido por praticamente todas as línguas européias. As denominações eram as seguintes:

 

Primeiro:         Solis dies              (dia do Sol)

Segundo:        Lunae dies             (dia da Lua)

Terceiro:        Martis dies             (dia de Marte)

Quarto:          Mercurii dies          (dia de Mercúrio)

Quinto:          Iouis dies                (dia de Júpiter)

Sexto:           Veneris dies            (dia de Vênus)

Sétimo:         Saturni dies             (dia de Saturno)

 

Por influência dos romanos, línguas do grupo germânico também adotaram o esquema. Só que, do terceiro ao sexto dia da semana, os deuses não eram comuns. Então eles trocaram os deuses romanos pelas divindades nórdicas correspondentes. Entre essas línguas se incluem o alemão, o inglês, o holandês, o sueco e o norueguês. Como os dias eram consagrados a divindades “pagãs”, os cristãos romanos adotaram, no calendário litúrgico, um sistema enumerativo: prima feria, secunda feria ... até sexta feria, mantendo apenas na denominação do último dia da semana o tradicional sabbatum (do shabbat judeu, que significa “descanso”) . No ano 321 d.C., o imperador romano Constantino trocou a denominação do primeiro dia, prima feria, por dies Dominicus (dia do Senhor), considerando que esse foi o dia da ressurreição de Cristo. Dies Dominicus é a origem do nosso “domingo”. E o dia do descanso, que os judeus guardam no último dia da semana, o sábado, passou a ser observado pelos cristãos no primeiro, o domingo. A Igreja Católica, especialmente depois de Constantino, conduziu uma vigorosa campanha durante séculos para que todos os idiomas adotassem o sistema enumerativo. No século VI d.C., na faixa oeste da Península Ibéria, hoje Portugal, o arcebispo de Braga, São Martinho de Dume, condenava o sistema “de se nomearem por ‘demônios’ os dias que Deus fez”. Esse foi o único ponto do Ocidente a adotar as novas denominações determinadas pela Igreja, pela força de São Martinho e certamente também pela posição periférica e mais dependente da região. Todas as demais regiões, incluindo o península itálica, continuaram com as denominações antigas. As línguas neolatinas somente aderiram à mudança do Solis dies (dia do Sol) pelo dies Dominicus e do Saturni dies (dia de Saturno) pelo sabbatum. Alguns idiomas do grupo germânico nem a essas mudanças aderiram. A adoção pela Igreja do sistema enumerativo, com o adendo feria, que em português se tornou ‘feira’, ainda é motivo de muita controvérsia entre estudiosos. Afinal, em latim, feria (mais usado no plural, feriae) nada tem a ver com o trabalho, pelo contrário. Entre as definições do termo encontram-se: ‘dias de descanso, dias de feriados, férias; festa, regozijo público; descanso, suspensão do trabalho’. Alguns autores dizem que é porque dies ferialis (dia de festa de um santo) se contrapunha a dies dominicus (dia do Senhor). Para outros, no calendário litúrgico, feria significava o dia em que não se comemorava uma festa. Ou seja, seriam as ‘férias das festas’, dias de trabalho. Há estudiosos, no entanto, que dizem estar o termo latino feria relacionado com ferre (levar). Significava levar o gado e os frutos da terra para vender no mercado (mais tarde, feira). Era o dia de descanso, porque para eles, só era considerado trabalho o que se fazia na terra, no campo. O termo feria (féria) passou a ser também quantia em dinheiro que se apurava no final das vendas, permanecendo até hoje com esse significado. Em português, no plural, passou a designar a interrupção do trabalho.

 

No quadro abaixo, estão grafados em negrito os dias da semana em várias línguas européias que permanecem fiéis à antiga denominação criada pelos romanos. Percebe-se que, à exceção da língua portuguesa, a maioria dos dias da semana de todas as demais línguas preserva o sistema latino. Aliás, a mais fiel é a língua inglesa, que nem é neolatina. Como, de terça a sexta-feira, línguas germânicas fizeram a correspondência das divindades romanas com deuses dos nórdicos, os nomes desses deuses aparecem entre parênteses no quadro.

 

                   Português      Espanhol         Italiano             Francês        Inglês             Alemão

 

Astro          Sol                   Sol                   Sole                   Soleil              Sun                Sonne

Dia             domingo          domingo          domenica           dimanche        sunday          Sonntag

Astro          Lua                  Luna                 Luna                  Lune               Moon             Mond

Dia             segunda           lunes                lunedi                lundi              monday         Montag 

Astro          Marte              Marte                Marte                 Mars                   (Ziu, Tiwaz ou Tyr)

Dia             terça                martes              martedi             mardi             tuesday         Dienstag

Astro          Mercúrio         Mercurio           Mercurio            Mercure               (Odin ou Woden)

Dia             quarta              miércoles         mercoledi           mercredi       wednesday    Mittwoch

Astro          Júpiter             Júpiter              Giove                   Jupiter                 (Thor ou Donar)

Dia             quinta              jueves              giovedi                 jeudi             thursday       Donnerstag

Astro          Vênus              Venus               Venere                 Vénus                  (Frija, Frigg ou Freya)

Dia              sexta               viernes             venerdi                vendredi       friday            Freitag

Astro          Saturno            Saturno             Saturno                Saturne          Saturn            Saturn

Dia             sábado              sábado              sabato                  samedi           saturday        Samstag