Greve

Vigilantes vão parar e os trabalhadores das empresas de transporte de valores também

24 Jan 2013 - 12h17

Os vigilantes de todo o Brasil programaram para o dia 1º de Fevereiro, uma greve nacional como forma de advertência para pressionar os empresários do setor de segurança. Eles querem o cumprimento da Lei Federal 12.740, assinada em 8 de dezembro de 2012 pela presidente Dilma Rousseff (PT). Estabelecendo que os vigilantes tem direito à taxa de periculosidade que representa adicional de 30% aos salários. Mas nem todas as empresas se adequaram. A greve foi deflagrada depois das declarações do ministro do trabalho Brizola Neto, que afirmou ser uma questão que deve ser resolvida entre patrões e empregados. A classe patronal argumenta que só paga o adicional após a regulamentação da lei.


Em Santa Catarina onde trabalham 25 mil pessoas nas empresas de vigilância, não houve acordo na reunião realizada em Florianópolis nesta terça-feira, 22, e o indicativo de greve geral está mantido. Em Jaraguá do Sul, segundo o presidente do sindicato local, Ademir Edson Fernandes, são aproximadamente 1 mil pessoas trabalhando nas cerca de 10 empresas de segurança que atuam no município. O problema, segundo ele está na resistência de algumas empresas de segurança em pagar os 30% de periculosidade.

[jwplayer mediaid="65823"]

O sindicalista explica qual foi a proposta feita pela classe patronal na ultima terça-feira, e que não foi aceita pelos vigilantes

[jwplayer mediaid="65827"]

Ele confirma a paralisação dos vigilantes para o próximo dia 1° de Fevereiro. E os vigilantes não estarão sozinhos nessa mobilização nacional. O sindicato que representa os trabalhadores nas empresas de transporte de valores, também promete aderir à paralisação.

[jwplayer mediaid="65825"]

SÉRGIO LUIZ

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Geral

Número de acessos móveis no Brasil cresce e fecha 2020 com 234 milhões

Número é maior que população porque muitos têm mais de um chip
Número de acessos móveis no Brasil cresce e fecha 2020 com 234 milhões
Geral

Quem vai se vacinar também pode ajudar com um quilo de alimento

Campanha Vacina Ação Solidária inicia nesta terça-feira (6) no Pavilhão A do Parque Municipal de Eventos. Quem for se vacinar, pode levar um quilo de alimento não perecível. Se puder e quiser
Quem vai se vacinar também pode ajudar com um quilo de alimento
Saúde

Hemosc necessita de doações de sangue para manter estoques

A doação de sangue está funcionando com horário agendado previamente, que pode ser por telefone ou diretamente no site
Hemosc necessita de doações de sangue para manter estoques
Saúde

Guaramirim inicia campanha para doação de alimentos durante vacinação do coronavírus

A doação é opcional, não sendo obrigatória para quem for receber a vacina
Guaramirim inicia campanha para doação de alimentos durante vacinação do coronavírus
Ver mais de Geral