Geral

Passeatas pela descriminalização da maconha ainda podem ser barradas

17 Jun 2011 - 11h51

Uma regra da Lei de Drogas ainda pode ser usada por promotores e juízes para barrar a realização de marchas pela legalização da maconha. Em um de seus artigos, a lei afirma que a pessoa que induzir, instigar ou auxiliar alguém ao uso indevido de droga pode ser punida com três anos de prisão e multa.

A regra não foi alvo da discussão desta semana no Supremo Tribunal Federal (STF), que liberou a realização de eventos como a Marcha da Maconha. O STF analisou apenas a aplicação do Código Penal, que afirma que é crime a apologia ao uso de drogas. Por unanimidade, os ministros descartaram que as marchas façam apologia.

O relator do processo que liberou as passeatas, ministro Celso de Mello, admite que o argumento presente na Lei de Drogas ainda pode ser usado por juízes que pretendem barrar esse tipo de evento.

- Os juízes, a rigor, poderiam, buscando fugir do efeito vinculante do julgamento, usar essa regra - disse o ministro.

Apesar de a brecha existir, Celso de Mello acredita que ela deve ser suprimida em pouco tempo. Em outra ação no STF, o Ministério Público pede que a intepretação do artigo da Lei de Drogas esteja de acordo com os princípios da liberdade de expressão e de reunião. O relator do caso é o ministro Carlos Ayres Britto.

- Tenho certeza que Ayres Britto deve trazer logo a julgamento - prevê o ministro.

O decano da Corte ainda afirma que caso haja qualquer restrição futura à realização das marchas, aqueles que se sentirem ofendidos podem entrar com uma reclamação diretamente no STF, sem passar por outras instâncias.

- A reclamação permite a concessão imediata de uma liminar, o que muitas vezes acontece - explica o ministro.

AGÊNCIA BRASIL

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Geral

Oficina com cantigas de rodas em libras terá transmissão nesta quarta em Jaraguá

As idealizadoras, Franciele Martins de Abreu Calduro e Mislene Pickcius, buscam a valorização desta manifestação cultural e promovem a acessibilidade para crianças com deficiência auditiva, por meio de libras.
Geral

Samae faz manutenção de áreas do programa Mata Ciliar

O Programa foi lançado em março de 2019, no dia 22 de março (Dia Mundial da Água), com o objetivo de recompor as margens do Rio Itapocu
Samae faz manutenção de áreas do programa Mata Ciliar
Geral

Entidades recebem doações da campanha VacinAção Solidária em Jaraguá

A campanha foi lançada no último dia 6 de abril, com o objetivo de receber doações da população durante a campanha de vacinação contra a covid-19.
Entidades recebem doações da campanha VacinAção Solidária em Jaraguá
Geral

Balão chama a atenção de moradores de Jaraguá do Sul

A iniciativa é do pastor Ronald Gartner, que usou de um balão e de um megafone para pregar nas alturas
Balão chama a atenção de moradores de Jaraguá do Sul
Ver mais de Geral