GNet
ação penal

Janot pede abertura de ação penal contra o presidente da Câmara

03 Mar 2016 - 12h05

Ele disse que o parlamentar usou o cargo para receber US$ 5 milhões em propina. A pedido de Janot, o Supremo julga hoje denúncia apresentada pelo procurador contra o parlamentar e a prefeita de Rio Bonito (RJ) e ex-deputada federal, Solange Almeida.

Segundo Janot, o parlamentar recebeu US$ 5 milhões para viabilizar a contratação de dois navios-sonda do estaleiro Samsung Heavy Industries, em 2006 e 2007. O negócio teria sido feito sem licitação e com a intermediação do empresário Fernando Soares, conhecido como Fernando Baiano, e o ex-diretor da Área Internacional da Petrobrás, Nestor Cerveró.


O caso foi descoberto a partir do acordo de delação premiada firmado por Júlio Camargo, ex-consultor da empresa Toyo Setal e um dos delatores do esquema de desvios na Petrobrás. Ele também teria participado do negócio e recebido US$ 40,3 milhões da Samsung Heavy Industries para efetivar a contratação, segundo a denúncia.

De acordo com Janot, “tudo ia bem na propinolândia” até que o contrato para contratação das sondas foi suspenso por um problema jurídico. Para o procurador, a partir daí, Fernando Soares passou atuar em nome de Cunha para pressionar Júlio Camargo para que o pagamento de propina fosse retomado.

Propina

Segundo a acusação, Solange Almeida, em 2011, quando era deputada federal, atuou em favor de Cunha e apresentou requerimentos à Comissão de Fiscalização e Controle da Câmara para pressionar Camargo, que parou de pagar as parcelas da propina. De acordo com Janot, não há dúvida de que Cunha foi o verdadeiro autor dos requerimentos.


“Portanto, o que se pode afirmar é que houve pagamento de propina nas sondas, o deputado e a deputada ambos utilizaram o cargo para pressionar e forçar o pagamento de propina. O deputado Eduardo Cunha recebeu, no mínimo, US$ 5 milhões e eles indicaram a forma de lavagem do dinheiro”, disse Janot.

Para o procurador, as suspeitas de irregularidades nos contratos de duas sondas foram de aproximadamente R$ 1 bilhão, valor que é maior que o orçamento o Ministério Público da União (MPU). Janot também defendeu as investigações da Operação Lava Jato e disse que nenhuma prova foi ocultada das defesas e que a denúncia contra Cunha não se assentou somente nos depoimentos de delação premiada.

Fonte: Agência Brasil

GNet

Matérias Relacionadas

Geral

Prazo para reformas nos cemitérios termina nesta sexta-feira

A data faz parte do calendário de atividades a serem executadas devido ao feriado do Dia de Finados (2 de novembro)
Prazo para reformas nos cemitérios termina nesta sexta-feira
Geral

Dia Internacional do Idoso terá evento no Parque da Inovação

Ao vivo no Diário da Jaraguá desta sexta-feira (22) a presidente do Conselho, Hildegard Bosshamer, e a assessora técnica, Caroline Bittencourt, comentaram sobre a ação
Dia Internacional do Idoso terá evento no Parque da Inovação
Geral

Assinada ordem de serviço para construção de um ginásio na EMEF Dorvalino Felippi

Obras devem começar nos próximos dias
Assinada ordem de serviço para construção de um ginásio na EMEF Dorvalino Felippi
Geral

Criação do Complexo Multimodal de Guaramirim é aprovado na Câmara

O objetivo do projeto é a instalação de grandes empreendimentos que terão à disposição aeródromo, linha ferroviária, áreas para a construção de aeroporto de cargas e Porto Seco
Criação do Complexo Multimodal de Guaramirim é aprovado na Câmara
Ver mais de Geral