Promoção - MEU PAI É
Geral

Indústrias de SC buscam parcerias para alcançar sustentabilidade

14 Ago 2012 - 22h07

O engajamento de indústrias catarinenses como Termotécnica e Embraco com clientes, fornecedores e até concorrentes está reduzindo o uso de recursos e o reaproveitamento de materiais, com ganhos para toda a sociedade. Os cases foram apresentados durante um seminário sobre sustentabilidade promovido pelo Sistema FIESC, realizado nesta terça (14), na Associação Empresarial de Joinville (Acij). No evento, que também teve a participação da empresa Weg, foram mostrados detalhes do Plano de Sustentabilidade para a Competitividade da Indústria Catarinense, que contempla ações que serão realizadas pelas entidades que compõem o Sistema FIESC ( FIESC, CIESC, SESI, SENAI e IEL) nos próximos anos.

Samae - Julho


A articulação da empresa Termotécnica com varejistas para recolher o isopor descartado tornou viável o reaproveitamento do material - que possui grande volume, mas rende pouco material reciclado. Com a criação de mais de 1200 centros de recolhimento pelo mundo, hoje a empresa recicla por mês mais de 500 toneladas do produto (equivalente a cerca de 600 carretas). O valor já corresponde a 23% da matéria-prima consumida pela empresa, que depois produz embalagens térmicas e blocos para construção civil. O case da empresa foi apresentado pelo proprietário da empresa, Albano Schmidt. Quando o programa foi criado, em 2007, eram 40 toneladas/mês.

Na empresa Embraco, a aliança é feita com os fornecedores, que foram foco de projetos de melhoria elaborados por profissionais da fabricante de compressores. Mudanças simples, como sugerir a redução de medidas de palhetes de madeira ou o uso desnecessário de pregos, têm ajudado a evitar o corte de 2600 árvores por ano e a transformação de 11 toneladas de aço. Em outras ações, equipes de segurança da empresa foram até os fornecedores e apontaram possíveis mudanças para melhorar a ergonomia no trabalho.

Para o 1º vice-presidente da FIESC e presidente da Acij, Mário Cezar de Aguiar, que esteve presente no evento, os cases servem de exemplo de ações internas e externas que podem ser desenvolvidas pela indústria. "Precisamos acabar com a visão de que há dicotomia entre a indústria e o meio-ambiente, pois a sustentabilidade hoje é questão estratégica para as empresas. Não dá mais para pensar em produtos sem analisar todas as questões ambientais, sociais e econômicas envolvidas", ressaltou.

Apesar do conceito de sustentabilidade estar muito ligado à preocupação ambiental, o conceito também tem relações com as esferas sociais e de perenidade do próprio negócio. O consultor da Confederação Nacional da Indústria (CNI), que participou de uma das palestras, define que, para se considerada sustentável, a empresa deve atender basicamente a cinco itens: depender o menos possível de recursos naturais, usar o máximo de sustâncias recicladas, não contribuir com a degradação ambiental e satisfazer as necessidades das comunidades com que tem relação, mas sem deixar de ter capacidade econômica para fazer investimentos necessários. "Ser sustentável é ser capaz de manter-se por longo período sem interrupções ou enfraquecimento. Não há como ter sustentabilidade sem ser competitivo, e vice-versa", definiu o consultor.


O Plano de Sustentabilidade da Indústria Catarinense, do Sistema FIESC, foi apresentado pelo presidente da câmara de qualidade ambiental, José Lourival Magri. A iniciativa contempla 16 grandes áreas de atuação e mais de 60 ações concretas em áreas como energia, mudanças climáticas e desastres naturais; produção mais limpa e recursos hídricos; resíduos sólidos; gestão de riscos e reputação e gestão de impactos sociais. O empresário também apresentou algumas ações recentes do Sistema FIESC na área de sustentabilidade, como a campanha por isenção de impostos na indústria de materiais recicláveis, consultorias em eficiência energética e cursos de responsabilidade corporativa.
Além de Joinville, o Sistema FIESC promoverá seminários voltados para a sustentabilidade em São Bento do Sul, Jaraguá do Sul, Blumenau, Lages, Criciúma e Chapecó. Em cada encontro serão apresentados cases de empresas que são referência em sustentabilidade.

 

Matérias Relacionadas

Jaraguá do Sul

Jaraguá confirma 15ª morte por covid

De 26 de julho a 1º de agosto, o município confirmou 489 novos casos de coronavírus
Jaraguá confirma 15ª morte por covid
Geral

Programa da CDL Jaraguá do Sul já recolheu mais de 15 toneladas de lixo eletrônico em 2020

Estima-se que apenas de 10% a 40% de todo volume de resíduos eletroeletrônicos são reciclados. O restante acaba em lixões a céu aberto e aterros ou é incinerado
Programa da CDL Jaraguá do Sul já recolheu mais de 15 toneladas de lixo eletrônico em 2020
Geral

CDL Jaraguá do Sul completa 52 anos

Com o objetivo de fomentar as vendas, entre os associados, a CDL Jaraguá do Sul inova a cada ano, em suas campanhas publicitárias, e também realiza sorteios de grandes prêmios em datas comemorativas
CDL Jaraguá do Sul completa 52 anos
Geral

Sicredi doa mais de 64 toneladas de alimentos para famílias da região

Agências do Sicredi se mobilizaram com a comunidade por meio do Dia C e arrecadaram o equivalente 6.450 cestas básicas com alimentos e produtos de higiene e limpeza
Sicredi doa mais de 64 toneladas de alimentos para famílias da região
Ver mais de Geral