Unimed - Capa
Secretária de Estado da Saúde

Estado prepara plano de enfrentamento da sífilis congênita em SC

21 Out 2016 - 11h13

No ano passado, 475 bebês nasceram com a doença no estado – número 75% maior do que o registrado no ano anterior, quando as notificações de sífilis congênita totalizaram 272 casos. A sífilis congênita pode causar aborto, má formação do feto e até morte do bebê.

Imobiliária Coralli


“A sífilis tem cura, desde que o tratamento seja feito oportunamente. A partir do tratamento adequado da gestante e do seu parceiro sexual, o bebê nasce livre da doença, ou seja, a sífilis congênita é 100% evitável”, enfatiza Dulce Quevedo, gerente de Vigilância das DST, Aids e Hepatites Virais da Vigilância Epidemiológica. O tratamento é realizado com antibióticos indicados por um profissional de saúde. No caso das gestantes, o único antibiótico indicado é a penicilina, cujo abastecimento já está normalizado no estado.

O Plano de Redução da Sífilis Congênita de Santa Catarina estabelece diversas estratégias a serem implementadas a partir de 2017 com a meta de melhorar a qualidade da atenção à saúde da mulher e do seu filho durante a gestação e o puerpério. Os objetivos são aumentar a cobertura da testagem para sífilis nas gestantes durante o pré-natal, bem como nos casais que estão planejando gestação; aumentar a cobertura de tratamento adequado nas gestantes com sífilis durante o pré-natal, incluindo o tratamento dos parceiros sexuais; e aumentar a cobertura de tratamento e o seguimento adequado dos recém-nascidos com sífilis congênita. O documento está baseado no protocolo do Ministério da Saúde e requer o envolvimento dos três níveis de governo, por meio da atuação dos gestores e profissionais de saúde. “É fundamental o comprometimento dos gestores e dos profissionais de saúde dos níveis estadual e municipais para garantir a operacionalização do plano nos municípios”, enfatiza Eduardo Macário, diretor da Dive.

Dentre as diversas ações e atividades previstas estão o fomento e o apoio aos municípios para realizar campanhas de educação em saúde para prevenção da sífilis; reforçar as orientações sobre a sífilis nas situações em que o casal procurar atendimento na Unidade Básica de Saúde (UBS); convidar o parceiro para acompanhar a gestante às consultas; divulgar vídeos e/ou orientações nas salas de espera da UBS.  A testagem para sífilis deve ser realizada no 1°, no 2° e no 3° trimestre da gestação. Independente dos resultados, um novo exame deverá ser realizado no momento da internação hospitalar para o parto ou abortamento.

Para garantir o tratamento oportuno e adequado da sífilis gestacional, o plano prevê a intensificação, pelos municípios, da busca ativa das gestantes faltosas e a orientação para que instituam a ficha de acompanhamento da sífilis gestacional, a ser anexada ao Cartão da Gestante. Outras ações pretendem investigar e tratar o recém-nascido antes da alta; conhecer e acompanhar os casos, sistematizar os dados e monitorar o tratamento da gestante; conhecer as vulnerabilidades dos serviços envolvidos no atendimento às pacientes com sífilis gestacional; investigar os casos de sífilis congênita para identificação das falhas ocorridas após o diagnóstico da sífilis gestacional e recomendar ações para a correção das mesmas; promover a formação e a atualização dos profissionais de saúde da Atenção Básica em relação ao diagnóstico e tratamento da sífilis com vistas a melhorar a qualidade do atendimento pré-natal.


Os casos de sífilis vêm aumentando ano a ano no mundo, no Brasil e em Santa Catarina. A estimativa da Organização Mundial da Saúde é que 937 mil pessoas são infectadas a cada ano no país. Em Santa Catarina, os casos de sífilis adquirida vêm aumentando em torno de 50% ao ano. Em 2015, foram registrados 5.706 novos casos, um crescimento de 53,5% em comparação aos 3.716 novos casos notificados no ano anterior. Em relação às gestantes (notificadas separadamente), o incremento foi de 61%, passando de 777 em 2014 para 1.254 em 2015.

No site www.dive.sc.gov.br/sifilis há informações completas sobre a doença, formas de transmissão e de prevenção e um link para a lista das unidades de saúde que oferecem o teste rápido, de forma rápida, gratuita e sigilosa.

Matérias Relacionadas

Política

Definidos deputados que vão compor o tribunal do 2º pedido de impeachment

A reunião de instalação do tribunal misto está marcada para a próxima sexta-feira (30), às 10 horas
Definidos deputados que vão compor o tribunal do 2º pedido de impeachment
Jaraguá do Sul

Confira como ficará o atendimento nos órgãos públicos municipais de Jaraguá na sexta e segunda

Medida é válida para sexta-feira (30) – ponto facultativo pelo dia do servidor – e na segunda-feira (2) – Dia de Finados.
Confira como ficará o atendimento nos órgãos públicos municipais de Jaraguá na sexta e segunda
Santa Catarina

General Ricardo Miranda Aversa é o novo chefe da Casa Civil de Santa Catarina

Natural do Rio de Janeiro, o general Ricardo Miranda tem ampla formação militar e atuou por vários anos em Florianópolis
General Ricardo Miranda Aversa é o novo chefe da Casa Civil de Santa Catarina
Guaramirim

COVID-19: Confira as medidas de flexibilização anunciadas em Guaramirim

Diante da mudança da matriz de risco da região nordeste que passou para risco alto, novas medidas estão vigentes na legislação estadual e já começam a valer em Guaramirim
COVID-19: Confira as medidas de flexibilização anunciadas em Guaramirim
Ver mais de Geral