Unimed - Capa
Geral

Autor do PL que diminui o rigor do Estatuto do desarmamento no Brasil, deputado Peninha compraria uma arma

26 Jul 2012 - 12h19

Autor do projeto de lei que facilita o acesso do cidadão à arma de fogo, o deputado federal Rogério Peninha Mendonça (PMDB-SC) compraria uma caso a presidente Dilma Rousseff sancione o PL. Segundo ele, não tendo antecedentes, fazendo o treinamento adequado e passando nos teste psicológicos, compraria uma arma.

- O Peninha ou qualquer outro cidadão que sinta necessidade deve ter o direito de comprar uma arma - acrescentou.

O PL está na Câmara que, se aprovado, irá revogar o Estatuto do Desarmamento, de 2003. Peninha considera o Estatuto restritivo, mas não acreditar que seu projeto irá simplesmente facilitar o acesso às armas. Para ele os critérios estipulados irão garantir que pessoas realmente aptas consigam o porte.

- Muita gente questionou a liberação do porte de armas nos Estados Unidos depois do caso do atirador do Colorado. Com o que determina o projeto de lei, aquele rapaz não conseguiria comprar uma arma - garantiu.

O caso citado por Peninha aconteceu na madrugada do dia 21. James Holmes invadiu um cinema na cidade do Colorado, nos Estados Unidos, e atirou contra as pessoas que assistiam a pré-estreia do filme Batman - o cavaleiro das trevas ressurge. Pelo menos 12 pessoas morreram vítimas do homem que teria dito à polícia que era o vilão Coringa.

Inversamente proporcional

Ainda sobre o Estatuto, Peninha ressalta que a venda de armas diminuiu 40% desde 2003, enquanto o número de homicídios cresceu no mesmo período na maioria dos estados. Em Santa Catarina, que tem uma das menores taxas de homicídio, o número passou de 11,6 em 2003 para 12,9 em 2010.

- O que mata não são as armas regularizadas e sim as que chegaram às ruas por meio de contrabando. A arma adquirida de maneira legal, não irá cometer crimes, mas sim inibí-los - disse Peninha.

Entre as propostas do projeto de lei está a redução da idade mínima para compra de arma de 25 para 21 anos. Outra questão é retirar o poder da Polícia Federal de vetar o nome do candidato à compra.

- Quero passar esta função para a Polícia Civil. Acho que a instituição tem total condição de avaliar se a pessoa tem ou não condições de ter porte de arma - concluiu o deputado.

DIÁRIO CATARINENSE

Matérias Relacionadas

Geral

Morre Francisco, pai dos sertanejos Zezé di Camargo e Luciano

Ele estava internado em um  hospital particular em Goiânia há 14 dias
Morre Francisco, pai dos sertanejos Zezé di Camargo e Luciano
Geral

Caropreso cobra agilidade na licitação das obras especiais da BR 280 

Recurso administrativo requer alteração de projeto
Caropreso cobra agilidade na licitação das obras especiais da BR 280 
Geral

Portarias do Estado liberam uso de provadores e cursos livres para menores de 14 anos

A autorização para a prova de roupas, acessórios, bijuterias e calçados foi autorizada pela portaria da Secretaria de Estado da Saúde (SES) 883/2020, publicada na terça-feira (17)
Rafael Benkendorf

Renault Megane eVision, provável concorrente do VW ID.3 poderá se chamar Megane ZOE

"O novo elétrico chamou a atenção por resgatar o nome Mégane, bastante popular entre os entusiastas,..."
Renault Megane eVision, provável concorrente do VW ID.3 poderá se chamar Megane ZOE
Ver mais de Geral