GNet
Atletismo

Bolt supera Gatlin e conquista tricampeonato mundial nos 100 metros rasos

23 Ago 2015 - 15h04
A música "One Love", de Bob Marley, voltou a tocar no Ninho de Pássaro, em Pequim, como sete anos atrás na conquista dos Jogos Olímpicos de 2008, em honra à lenda da velocidade mundial, agora tricampeão mundial, bicampeão olímpico e recordista dos 100 e 200 metros.

O jovem americano Trayvon Bromell, de apenas 20 anos, dividiu a terceira posição com o canadense Andre de Grasse. Ambos terminaram a prova com os mesmos 9s92, conquistando a medalha de bronze.

A expressão fechada e concentrada de Bolt mostrava a preocupação da lenda do atletismo antes de se posicionar na plataforma de saída para a prova. O sorriso e a confiança tradicional sumiram. Gatlin era uma ameaça real à hegemonia do jamaicano.

O americano era, inclusive, considerado favorito, por liderar o ranking de melhores tempos do ano com 9s74. Bolt ocupava apenas a sexta posição, com 9s87. A possibilidade de derrota ganhou ainda mais força na semifinal, quando o jamaicano largou muito mal e quase caiu. Porém, conseguiu se recuperar e vencer a série com 9s96, mesmo tempo do canadense Andre de Grasse.

Gatlin, na sequência, mandou o último recado: cravou 9s77 na prova classificatória para a decisão. A diferença entre ambos - 19 centésimos - parecia um argumento definitivo.

Bolt enfrentou, talvez, o desafio mais complicado de sua carreira desde que se transformou na maior estrela do atletismo. Mas voltou a mostrar, como em outras ocasiões, uma recuperação que só as lendas do esporte são capazes de realizar.

Há dois anos, por exemplo, dúvidas rondavam o desempenho de Bolt no Mundial de Moscou. Dois meses antes, em Roma, foi derrotado por Gatlin. Por apenas um centésimo, mas era a primeira derrota do jamaicano em um ano. No entanto, na final, o recordista mundial superou o rival americano por 0s8 e confirmou o bicampeonato.

Em 2012, Bolt chegou aos Jogos Olímpicos de Londres com duas derrotas, desta vez para o compatriota Yohan Blake nos campeonatos nacionais, tanto nos 100 como nos 200 metros rasos. Na hora da decisão, porém, confirmou o ouro em ambas as provas.

Neste domingo, a diferença entre os dois atletas pode ter ocorrido na largada. Gatlin foi seis milésimos mais lento que o adversário, que também saiu mal (0s165 do americano contra 0s159 do jamaicano). Na sequência, Bolt foi bastante pressionado, mas conseguiu confirmar mais uma vitória. Um raio pode, sim, cair três vezes no mesmo lugar.

UOL.
GNet

Matérias Relacionadas

Geral

Bananalama de 2022 já tem dada pré-programada

A informação é de Eduardo Appel, diretor da empresa Arsenal, promotora do evento
Bananalama de 2022 já tem dada pré-programada
Esportes

Jaraguaense Nicole Nunes é campeã brasileira de xadrez

Ela também foi bronze no ritmo Blitz, com vitória em três de cinco partidas
Jaraguaense Nicole Nunes é campeã brasileira de xadrez
Esportes

Xadrez de Jaraguá conquista o vice-campeonato dos Joguinhos Abertos

A competição ocorreu na sexta-feira (8), em Timbó, com partidas de alto nível técnico, disputadas contra  Blumenau, Criciúma, São Bento do Sul, Concórdia, Timbó, Navegantes, Joaçaba, Florianópolis, Fraiburgo e Rio do Sul
Xadrez de Jaraguá conquista o vice-campeonato dos Joguinhos Abertos
Esportes

Delegação de tiro de Jaraguá é destaque do Catarinense

O próximo evento envolve a 10ª etapa do Catarinense de Carabina Apoiada, programada para 16 de outubro, em Corupá.
Delegação de tiro de Jaraguá é destaque do Catarinense
Ver mais de Geral