ESPORTE

Prefeitura cobra interdição de CT do Flamengo; vice do clube abandona entrevista

15 Fev 2019 - 18h43Por Marcio Dolzan

A Prefeitura do Rio cobrou que o Flamengo cumpra a ordem de 2017 para fechar por completo o Ninho do Urubu. A reportagem do Estado confirmou a determinação com o órgão estadual assim que a reunião das entidades que estudam e investigam a responsabilidade pela morte dos dez garotos da base do clube carioca. A prefeitura entende que o Flamengo não poderia manter o centro de treinamento desde aquela determinação, e que se o clube tivesse cumprido as ordens ele teria impedido o trágico acidente com os meninos da base, ocorrido na sexta-feira passada no CT do clube.

Presente no encontro desta sexta, o vice-jurídico do Flamengo, Rodrigo Dunshee, não respondeu se acatará a determinação. A gestão anterior não acatou. O cartola demonstrou incômodo com questionamentos dos repórteres e abandonou a coletiva de imprensa convocada pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) para tratar do incêndio da semana passada. Momentos antes, em reunião com representantes do MP-RJ, Prefeitura do Rio e outros órgãos de fiscalização, o Flamengo havia sido informado que a prefeitura iria refazer a ordem de interdição ao Ninho do Urubu.

Dunshee respondia sobre o porquê de o clube não ter atendido a uma primeira ordem de interdição ao CT, imposta pelo Município em 2017. Primeiro, ele alegou que assumira o departamento jurídico do Flamengo apenas recentemente. Depois, disse que a ordem de interdição de 2017 era passível de questionamentos. "Eu estou no prazo para fazer certas coisas. Acho que essa questão de licenças é colateral", afirmou. "Essa questão está sub judice, todas as questões estão sub judice."

Os repórteres então questionaram se o clube iria atender à nova ordem de interdição imposta pela Prefeitura do Rio, informada por representantes do Município na reunião realizada momentos antes. Foi quando Dunshee se levantou, virou as costas e deixou o auditório da sede do MP.

Representantes do MP-RJ confirmaram que a administração municipal decretou a interdição do CT - trata-se de uma punição administrativa, que não têm força de decisão judicial. A vistoria realizada por diversos órgãos do Estado e do Município do Rio na última terça-feira identificou irregularidades no CT do Flamengo. Três quadros de luz foram interditados e foi constatado também problemas "de ordem sanitária".

Todos as questões que estavam em situação de desconformidade perante as normas da legislação trabalhista estavam em áreas dedicadas à base ou a funcionários do clube. "A área dedicada aos (jogadores) profissionais estava em condições muito melhores", pontuou o superintendente regional do Trabalho no Estado do Rio de Janeiro, Alex Bolsas.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Esportes

Juventus encara o Hercílio Luz pelo Catarinense nesta quarta em Jaraguá

Partida, marcada para às 16h, terá transmissão da Rádio Jaraguá
Juventus encara o Hercílio Luz pelo Catarinense nesta quarta em Jaraguá
Esportes

Catarinenses conhecem adversários na Copa do Brasil 2021

A Chapecoense, por ter sido campeã da Série B do Campeonato Brasileiro em 2020, entra direto na terceira fase da disputa nacional
Catarinenses conhecem adversários na Copa do Brasil 2021
Esportes

Joinville tem novo jogo adiado no estadual por surto de covid-19

Partida contra Metropolitano terá data remarcada
Joinville tem novo jogo adiado no estadual por surto de covid-19
Economia

Preços de gasolina, diesel e gás aumentam hoje nas refinarias

Litro da gasolina ficou R$ 0,12 mais caro (4,8%)
Preços de gasolina, diesel e gás aumentam hoje nas refinarias
Ver mais de Esportes