ESPORTE

Com sete derrotas seguidas, seleção feminina de futebol perde rumo e status

09 Mar 2019 - 09h15Por Rafael Franco

Mesmo após Marta ser eleita pela sexta vez a melhor jogadora do mundo, um recorde absoluto na premiação da Fifa, a seleção brasileira feminina de futebol deverá chegar ao Mundial deste ano, na França, desacreditada. A competição começará em 7 de junho e até lá o técnico Oswaldo Alvarez, o Vadão, terá pouco tempo para preparar e mudar o rumo da equipe nacional, que sofreu sete derrotas nos últimos sete jogos.

Embora defenda que o Brasil jogou bem e merecia melhores resultados nas três partidas finais desta sequência, contra Inglaterra, Japão e Estados Unidos, o treinador admite que, no momento, o seu time não pode se colocar entre as principais potências do futebol feminino e, consequentemente, não está entre as favoritas ao título. A situação do time coloca em xeque a modalidade no País, que vive às turras com a falta de investimento dos grandes clubes.

Vadão reconhece que a seleção não conseguiu evoluir, ao passo que várias outras rivais cresceram e se tornaram mais protagonistas do que o Brasil. "Antigamente, tinha quatro ou cinco equipes favoritas no Mundial. Hoje, temos umas dez. Tem a Inglaterra, que subiu demais, Japão, Canadá, Noruega, Austrália, França, Alemanha... (não cita o Brasil). A evolução do futebol feminino dos outros países foi muito grande, enquanto nós estacionamos", afirmou o técnico ao Estado.

Desde que Vadão reassumiu o comando do time, em setembro de 2017, o Brasil disputou 21 jogos, nos quais acumulou 12 vitórias, um empate e oito derrotas, todas para equipes que estarão no Mundial. O último triunfo ocorreu em 29 de julho de 2018, quando bateu as japonesas por 2 a 1 em amistoso nos Estados Unidos. Nove das 12 vitórias de Vadão foram sobre rivais sul-americanas, quase todos de um nível considerado fraco ou até amador no futebol feminino.

REFLEXO DE GERAÇÃO - O técnico vê o Brasil também com uma geração carente de talentos."Se você pegar a seleção brasileira masculina, quando o Felipão ganhou a Copa de 2002, tinha Rivaldo, Ronaldo, Ronaldinho Gaúcho e uns cinco jogadores excepcionais. Hoje só temos o Neymar como fora de série", compara. "Em um passado um pouco distante, o Brasil tinha a Sissi, a Marta e várias outras atletas com poder de decisão. Hoje são poucas. A Formiga, com 41 anos, jogou 90 minutos nos três últimos jogos e nós precisamos dela. A Marta não estava na melhor de sua condição nestes últimos confrontos, mas a gente precisava dela..."

Marco Aurélio Cunha, coordenador de futebol feminino da CBF, também reconheceu ao Estado que a seleção é dependente de nomes como Marta e Cristiane para brilhar, mas crê que o nível do futebol brasileiro "melhorou absurdamente" e vai evoluir mais com a obrigatoriedade recente de os clubes manterem times femininos.

Entretanto, o dirigente admite que o Brasil não está entre os principais postulantes a conquistar o título do Mundial, apesar de o País carregar a tradição de quem foi vice-campeão da Copa de 2007 e faturou medalha de prata olímpica em Atenas-2004 e Pequim-2008.

"Não vejo como o Brasil poderia ser favorito. Favoritos são os quatro primeiros do ranking, os outros são times que estão em busca de sua oportunidade", disse, referindo-se ao fato de as brasileiras, hoje, ocuparem o décimo lugar na listagem da Fifa.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Esportes

Jaraguá Futsal vence o Pato pela Copa do Brasil

Com o resultado, o Jaraguá pode até empatar o duelo de volta que se classifica à segunda fase
Jaraguá Futsal vence o Pato pela Copa do Brasil
Geral

Marcada data da licitação do Centro de Treinamento Esportivo

O projeto prevê duas quadras poliesportivas com arquibancadas, vestiários, banheiros, sala administrativa e depósito/almoxarifado
Marcada data da licitação do Centro de Treinamento Esportivo
Esportes

Denúncia de escalação irregular suspende duelo pelas semifinais em SC

Caso envolve defensor do Hercílio Luz, time eliminado pela Chapecoense
Denúncia de escalação irregular suspende duelo pelas semifinais em SC
Esportes

Juventus perde para o Marcílio Dias e está fora do Catarinense 

O Juventus precisava de uma vitória para avançar a semifinal. O Marcílio Dias jogava pelo empate e terminou a partida com um gol
Juventus perde para o Marcílio Dias e está fora do Catarinense 
Ver mais de Esportes