GNet
Caraguá
Economia

Setor da panificação debate aumento de custos em matérias-primas

O presidente da Câmara, Ramiro Cardoso, destacou os desafios enfrentados pelo segmento por conta da pandemia, que afetou as vendas nos estabelecimentos, e chamou a atenção para a alta no preço dos insumos.

17 Set 2020 - 11h00Por Da Redação

O aumento do preço em matérias-primas utilizadas na produção do setor de panificação, principalmente a farinha de trigo, foi debatido em reunião virtual da Câmara de Desenvolvimento da Indústria da Panificação e Confeitaria da FIESC, nesta quarta-feira (16). 

O presidente da Câmara, Ramiro Cardoso, destacou os desafios enfrentados pelo segmento por conta da pandemia, que afetou as vendas nos estabelecimentos, e chamou a atenção para a alta no preço dos insumos. 

“O mercado está muito diferente e a preocupação é grande porque não se sabe o que vai ser daqui a 15 ou 30 dias. Está difícil fazer previsão. Então quem não tem capital de giro para comprar e estocar matérias-primas, que estão aumentando até 50% em alguns casos, vai ter muita dificuldade”, afirmou. 

No encontro, o gerente de vendas da M.Dias Branco, Arthur Benevides, explicou que a alta no dólar é a principal responsável pelo aumento do preço do trigo. A empresa é a maior moedora de trigo do Brasil e responde por 35% do mercado nacional de massas e biscoitos. 

“Há uma pressão muito grande de custos que nós como indústria também estamos sofrendo muito, pela alta do dólar e a sua volatilidade. Então, realmente, é uma conta que não fecha”, disse, lembrando que boa parte do trigo usado no país é importado da Argentina. “E todo esse trigo é dolarizado”, completou.

 

GNet

Matérias Relacionadas

Economia

Oportunidade de trabalho

Confira!
Oportunidade de trabalho
Segurança

Banco Central comunica vazamento de dados de 160,1 mil chaves Pix

Foram vazados dados cadastrais da Acesso Pagamentos
Banco Central comunica vazamento de dados de 160,1 mil chaves Pix
Economia

Presidente negocia PEC para zerar impostos sobre combustíveis

Em 2021, a gasolina e o diesel subiram 47%, Etanol acumula alta de 62%
Presidente negocia PEC para zerar impostos sobre combustíveis
Economia

Sindicato dos Metalúrgicos da região e classe patronal fecham reajuste para 2022

Confira o reajuste que será concedido aos trabalhadores
Sindicato dos Metalúrgicos da região e classe patronal fecham reajuste para 2022
Ver mais de Economia