ECONOMIA

Secretário diz que acordo da cessão onerosa é 'extremamente significativo'

15 Abr 2019 - 18h18Por Lorenna Rodrigues, Adriana Fernandes e Fabrício de Castro

O secretário especial da Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, afirmou, ao tratar do Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO), que o acordo de cessão onerosa é "extremamente significativo". "É um feito histórico."

"Na cessão onerosa, após seis anos, tivemos um acordo e chegamos a R$ 9,58 bilhões", citou Waldery Rodrigues. "Isso reduz dramaticamente a insegurança jurídica em relação ao contrato assinado em 2010 entre as partes."

O secretário afirmou que a expectativa é de que, em 28 de outubro, quando ocorrem os leilões da área de petróleo, o interesse expresso pelos investidores seja substancial. "(O leilão) deverá trazer para a União um bônus de assinatura substancial."

Questionado a respeito da necessidade de o Congresso corroborar o acordo relacionado à cessão onerosa, Waldery Rodrigues afirmou que o governo tem dialogado com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP). "A decisão do Congresso é soberana", pontuou. "O fôlego da cessão onerosa, no devido tempo, poderá contribuir para o federalismo", acrescentou.

Waldery citou ainda que a privatização da Eletrobras, com valor previsto de R$ 12,2 bilhões, poderá ser incluída no relatório bimestral de receitas e despesas, impactando o primário.

O secretário citou outras fontes de recursos, como a possibilidade de os bancos estatais anteciparem o pagamento de empréstimos ao Tesouro. "Temos trabalhado junto ao Banco do Brasil e à Caixa sobre empréstimos com instrumentos híbridos de dívida que poderão ser antecipados", disse.

Outro item citado por ele diz respeito ao desinvestimento das estatais. "Vamos comunicar nas próximas semanas a abertura do mercado de gás. (Isso) Tem impacto sobre finanças estaduais, é item importantíssimo para os Estados", defendeu. Segundo ele, as medidas a serem anunciadas vão ajudar os Estados e os municípios.

Waldery afirmou ainda que o Fundo Social será partilhado pelo governo federal com Estados e municípios. "Entendemos que o federalismo sadio e efetivo é aquele em que a União não contempla todos os recursos ou a grande maioria dos recursos. Ao longo do tempo, teremos descentralização de recursos, acompanhada de ajustes fiscais", disse.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Economia

Auxílio emergencial é pago a beneficiários do Bolsa Família com NIS 2

Parcela varia de R$ 150 a R$ 375, dependendo do beneficiário
Auxílio emergencial é pago a beneficiários do Bolsa Família com NIS 2
Economia

Caixa sorteia R$ 30 milhões da Dupla-Sena da Páscoa neste sábado

Apostas podem ser feitas até as 19h
Caixa sorteia R$ 30 milhões da Dupla-Sena da Páscoa neste sábado
Economia

WEG anuncia novos investimentos em Minas Gerais

Com uma nova fábrica de Eletrocentros em Betim, companhia pretende fortalecer sua posição em um dos mais importantes mercados de equipamentos elétricos industriais e para geração de energia do país
WEG anuncia novos investimentos em Minas Gerais
Economia

Petrobras aumenta preços do diesel e da gasolina nas refinarias

Litro do diesel passará a custar R$ 2,76, e o da gasolina, R$ 2,64
Petrobras aumenta preços do diesel e da gasolina nas refinarias
Ver mais de Economia