Delivery Much
ECONOMIA

'Se pedalaram o BNDES, temos que despedalar', diz Guedes

10 Mai 2019 - 14h03Por Fernanda Nunes e Denise Luna

O ministro da Economia, Paulo Guedes, defendeu que Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) devolva dinheiro da União e passe a concentrar esforços em segmentos específicos, que geram efeitos na área social, como o de saneamento. Ele defendeu também que o banco contribua na reestruturação de Estados e municípios.

Em palestra no 31º Fórum Nacional, em escritório do BNDES, no Centro do Rio, ele criticou a política do governo petista dos "campeões nacionais", que classificou como fábrica de privilégios. "Não é razoável um sujeito em Brasília criar a maior fábrica de proteína do mundo. Quem escolhe os campeões?", questionou.

Em seguida, disse: "Se pedalaram o BNDES, temos que despedalar. Vamos reduzir. Temos que devolver capital à União."

Segundo o ministro, o 'S' da sigla do BNDES deverá ser traduzido como saneamento. Esse será um dos segmentos nos quais o banco deverá se aprofundar. "Vamos avançar nas privatizações", acrescentou.

Guedes destacou ainda a intenção de o banco participar do processo de reestruturação das finanças de Estados e municípios, com a utilização de recursos futuros, como do pré-sal. "Vamos usar mais garantias do que crédito bruto para reestruturar Estados e municípios", afirmou.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Economia

Nascidos em outubro podem sacar auxílio emergencial a partir de hoje

Serão beneficiadas 3,5 milhões de pessoas
Nascidos em outubro podem sacar auxílio emergencial a partir de hoje
Economia

Mega-Sena acumula e prêmio vai para R$ 22 milhões

A quina teve 75 ganhadores, com prêmio individual de R$ 32.688,93
Mega-Sena acumula e prêmio vai para R$ 22 milhões
Economia

Copom mantém juros básicos da economia em 2% ao ano

Apesar de alta na inflação, BC decidiu não mexer na Selic
Copom mantém juros básicos da economia em 2% ao ano
Economia

Copom deve manter juros básicos em 2% ao ano, dizem analistas

Resultado da reunião será divulgado no fim da tarde
Ver mais de Economia