ECONOMIA

Receita diz que terceira queda mensal consecutiva da arrecadação não preocupa

19 Fev 2019 - 16h53Por Idiana Tomazelli e Eduardo Rodrigues

O chefe do Centro de Estudos Tributários e Aduaneiros da Receita Federal, Claudemir Malaquias, avaliou nesta terça-feira, 19, que a terceira queda mensal consecutiva na arrecadação federal não preocupa. Segundo ele, haverá crescimentos marginais nas receitas a partir de agora.

A arrecadação de impostos e contribuições federais somou R$ 160,426 bilhões em janeiro, um recuo real (já descontada a inflação) de 0,66% na comparação com o mesmo mês do ano passado. Em dezembro, a queda foi de 1,03% e em novembro havia sido de 0,27%.

"Esse movimento não preocupa. O resultado de janeiro foi afetado por questões sazonais e não indica o desempenho para todo o ano. A tendência é que ocorram ganhos marginais na arrecadação a partir de agora. O ritmo da retomada das receitas segue características da atividade econômica, que não é retilíneo", argumentou. "Estamos olhando a foto. Vamos esperar o filme para fazermos uma avaliação mais completa", completou.

Segundo ele, a queda real na arrecadação federal em janeiro deste ano se deveu ao desempenho dos principais fatores macroeconômicos, mas principalmente devido ao recolhimento à vista do Refis em janeiro de 2018.

"Em janeiro do ano passado, houve a quitação à vista de R$ 8,24 bilhões em parcelamentos (Refis), o que não ocorreu em janeiro deste ano", destacou. No mês passado, os pagamentos referentes ao programa somaram R$ 480 milhões. Segundo ele, sem esse efeito do Refis na base de comparação, as receitas administradas teriam crescido 3,83% no mês passado.

Malaquias apontou ainda a piora dos principais indicadores macroeconômicos em janeiro, com impactos na arrecadação de tributos federais. Houve queda na produção industrial, nas vendas de serviços e na massa salarial de janeiro. Também houve um ritmo menor de alta nas vendas de bens no mês passado", elencou.

Revisão das receitas

O coordenador de previsão e análise da Receita Federal, Marcelo de Mello Gomide de Loures, avaliou que o resultado da arrecadação de janeiro veio dentro do esperado pelo Fisco. Segundo ele, a projeção de receitas do Orçamento de 2019 será revisada no relatório bimestral - a ser divulgado em março. Loures não adiantou se a revisão será para cima ou para baixo.

"Ainda não recebemos a nova grade de parâmetros macroeconômicos para este ano. Mas, a julgar pelo resultado da arrecadação de janeiro, revisão das receitas para o ano não deve ser muito diferente das atuais projeções da Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2019", afirmou.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Economia

Programa de Microcrédito de Jaraguá já tem adesão de instituição financeira

Termo de credenciamento da instituição foi assinado nesta quinta-feira
Programa de Microcrédito de Jaraguá já tem adesão de instituição financeira
Economia

Mais de 70% das indústrias têm dificuldades em conseguir matéria-prima

É o que revela pesquisa feita pela CNI
Mais de 70% das indústrias têm dificuldades em conseguir matéria-prima
Economia

Caixa paga hoje auxílio emergencial a nascidos em fevereiro

Benefício terá parcelas de R$ 150 a R$ 375
Caixa paga hoje auxílio emergencial a nascidos em fevereiro
Educação

Sicredi lança plataforma digital com cursos gratuitos para associados 

São mais de cem possibilidades de cursos
Sicredi lança plataforma digital com cursos gratuitos para associados 
Ver mais de Economia