transito
ECONOMIA

Previdência deve ser aprovada com economia entre 50% e 75% do previsto, diz Itaú

24 Abr 2019 - 16h50Por Caio Rinaldi

A reforma da Previdência proposta pelo governo de Jair Bolsonaro, que na sua integralidade prevê a economia de cerca de R$ 1 trilhão em dez anos, deverá ser parcialmente desidratada ao longo da tramitação pelo Congresso Nacional, avaliam os economistas do Itaú Unibanco.

"Acreditamos que a versão a ser aprovada pelo Congresso terá impacto fiscal de 50% a 75% em relação ao do texto enviado pelo governo, ou seja, com uma economia acumulada entre R$ 540 e R$ 800 bilhões em 10 anos", afirma o banco em nota enviada a clientes.

Conforme o Itaú, a economia de R$ 1 trilhão pela proposta original representaria um incremento de 2,5 ponto porcentual do PIB para o resultado primário de 2027 em relação ao cenário sem reformas. Já considerando a expectativa do banco, de redução do impacto fiscal, a economia poderá variar entre 1,4 ponto porcentual (p.p.) e 1,9 p.p. do PIB no primário.

O contexto por trás da expectativa do Itaú para aprovação da reforma é a "existência de uma maioria no Congresso Nacional" que concorda com a importância e necessidade de reformular as regras previdenciárias. "Esta maioria pode ser mobilizada para as votações", explica o banco em relatório.

Entre os pontos mais suscetíveis a alterações ou até mesmo exclusão da proposta, o Itaú Unibanco indica as propostas de mudanças na aposentadoria rural, no BPC e no tempo mínimo de contribuição, assim como uma "suavização" nas regras de transição. "Enquanto os 3 primeiros itens retirariam R$ 143 bilhões da economia com a reforma (0,40% do PIB em 2027), a suavização das regras de transição retiraria cerca de R$ 80 bilhões em 10 anos (0,25% do PIB em 2027)", calculam os economistas do banco.

Já em relação ao período de tramitação até a aprovação da reforma, o Itaú espera que o processo esteja concluído ainda em 2019. "Apesar do ruído observado nas etapas iniciais de tramitação, esperamos aprovação da reforma da Previdência no terceiro trimestre de 2019 na Câmara dos Deputados e no quarto trimestre no Senado", aponta o Itaú Unibanco.

Matérias Relacionadas

Economia

Receita abre consulta a maior lote de restituição do IR da história

Cerca de 5,6 milhões de contribuintes receberão R$ 9,5 bilhões
Receita abre consulta a maior lote de restituição do IR da história
Economia

Intenção de Consumo das Famílias avança 1,3% em maio

Esse é o segundo resultado positivo consecutivo, apurado pela CNC
Intenção de Consumo das Famílias avança 1,3% em maio
Santa Catarina

Celesc emite comunicado sobre erros nas faturas de energia

Implantação do novo sistema comercial teria apresentado instabilidade
Celesc emite comunicado sobre erros nas faturas de energia
Economia

Responsável por 3,7% do PIB, setor de defesa é oportunidade para indústria de SC

Responsável por 3,7% do PIB, setor de defesa é oportunidade para indústria de SC
Ver mais de Economia