Dia internacional das Mulheres
ECONOMIA

No IGP-M, IPA sobe 1,22%; IPC, 0,26%; e INCC-M avança 0,19%

27 Fev 2019 - 14h09Por Caio Rinaldi

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) teve alta de 1,22% em fevereiro, revertendo a queda de 0,26% em janeiro, informou nesta quarta-feira, 27, o Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV). Em 12 meses, o indicador acumula alta de 9,50%.

Entre os componentes do indicador, o IPA Agropecuário avançou 2,71% no mês, ante queda de 0,71% em janeiro, acumulando alta de 10,57% em 12 meses. Já o IPA Industrial teve expansão de 0,74% no segundo mês do ano, após ter recuado 0,12% na primeira leitura de 2018. Em 12 meses, acumula alta de 9,15%.

Na análise por estágios de processamento, os Bens Finais tiveram alta de 1,19% em fevereiro, após alta de 0,52% em janeiro. A principal contribuição para o movimento partiu de alimentos in natura, cuja elevação atingiu 17,41%, após 3,54% no mês anterior.

O índice relativo a Bens Finais (ex), que exclui os subgrupos 'alimentos in natura' e 'combustíveis para o consumo', teve queda de 0,12% este mês, após 0,53% em janeiro.

Já os Bens Intermediários cederam 0,35%, ante recuo de 0,99% no mês anterior. Neste grupo, o principal fator por trás da aceleração foi o subgrupo combustíveis e lubrificantes, que avançaram 2,48% ante recuo de 4,56% em janeiro.

Nas Matérias-Primas Brutas, houve alta de 3,23% em fevereiro, em comparação à queda de 0,30% em janeiro. Contribuíram para a aceleração os seguintes itens: minério de ferro (de 2,99% para 11,98%), leite in natura (de -2,23% para 8,63%) e soja em grão (de -4,27% para -2,04%). Já no sentido oposto, destaque para bovinos (de 0,60% para -0,72%), algodão em caroço (de 1,96% para -1,41%) e mandioca (aipim) (de 4,52% para 2,22%).

Nesta quarta-feira, o Ibre/FGV relatou alta de 0,88% do Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) em fevereiro, em aceleração ante a leve expansão de 0,01% em janeiro. Com a variação, a taxa acumulada em 12 meses ficou em 7,60%.

Outro componente do IGP-M, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) desacelerou em fevereiro, marcando 0,26%, de 0,58% em janeiro. Já o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC-M) teve expansão de 0,19%, após 0,40%.

Influências no IPA

O minério de ferro foi o item de maior contribuição para a alta do IPA, passando de 2,99% em janeiro para 11,98% em fevereiro. O movimento ocorre em linha com o encarecimento da commodity no mercado internacional, após o colapso da barragem em Brumadinho e as repercussões sobre a produção da Vale.

Também influenciaram positivamente as altas em Feijão (em grão) (de 15,61% para 62,35%), Óleo diesel (de -0,88% para 7,56%), Leite in natura (de -2,23% para 8,63%) e Batata-inglesa (de 4,17% para 40,80%).

Já entre as influências negativas, destaque para o recuo na carne bovina, que passou de alta de 0,98% em janeiro para queda de 4,24% em fevereiro. Outros itens que aliviaram o movimento foram Soja (em grão) (de -4,27% para -2,04%), Farelo de soja (de 0,23% para -5,30%), Querosene de aviação (de -8,72% para -10,45%) e Óleos combustíveis (de -11,83% para -3,85%).

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Geral

Contribuinte pode destinar parte do IR para projetos sociais de Guaramirim

Todas as pessoas físicas podem fazer doações de recursos financeiros aos Fundos Municipais
Contribuinte pode destinar parte do IR para projetos sociais de Guaramirim
Economia

Aumento da gasolina também causa impacto no preço do etanol

Álcool acumula aumento de 21% desde janeiro
Aumento da gasolina também causa impacto no preço do etanol
Economia

Indústria brasileira cresce 0,4% de dezembro para janeiro

Setor teve expansão de 0,8% na média móvel trimestral
Indústria brasileira cresce 0,4% de dezembro para janeiro
Economia

Em nova coleção, Malwee aposta em versatilidade e moda atemporal

Marca apresenta peças atemporais como moletons, malhas texturizadas, calças jogger, jeans e tricôs clássicos para serem usados por vários invernos
Em nova coleção, Malwee aposta em versatilidade e moda atemporal
Ver mais de Economia