dengue
ECONOMIA

Machado: 'Vamos alegar que votação de reforma na CCJ sem dados é ilegal'

22 Abr 2019 - 21h37Por Daniel Weterman

Diante da decisão do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), de negar a suspensão da tramitação da reforma da Previdência na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, o vice-líder da oposição na Câmara, Aliel Machado (PSB-PR), disse que os deputados contrários à proposta vão alegar que é ilegal a votação sem os dados detalhados que embasaram o texto.

A estratégia da oposição é apresentar uma questão de ordem, no início da sessão desta terça-feira, 23, argumentando que a votação é ilegal até que o mérito da ação no STF seja apreciada e as informações sejam divulgadas. De acordo com Machado, Gilmar pediu que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e o presidente da CCJ na Casa, Felipe Francischini, se manifestem sobre o pedido.

"Vamos alegar que a votação da reforma na CCJ sem os dados é ilegal", disse o parlamentar. Ele afirmou que o governo é obrigado a detalhar os custos de transição para o sistema de capitalização ao apresentar a proposta.

Matérias Relacionadas

Economia

Bancos não terão atendimento presencial ao público nesta quinta-feira

Agências serão reabertas na sexta
Bancos não terão atendimento presencial ao público nesta quinta-feira
Economia

Mercado eleva previsão da inflação de 3,8% para 3,86% em 2024

Projeção de expansão da economia está 2,05% este ano.
Mercado eleva previsão da inflação de 3,8% para 3,86% em 2024
Economia

Após chuvas, Gramado tem mais de 500 hotéis e restaurantes fechados

Temporais e deslizamentos deixaram 1 mil desabrigados
Após chuvas, Gramado tem mais de 500 hotéis e restaurantes fechados
Política

Modal ferroviário é tema de debate na Assembleia Legislativa de Santa Catarina

Encontro foi proposto pelo deputado Antídio Lunelli, presidente da Comissão de Transportes e Desenvolvimento Urbano da Alesc
Modal ferroviário é tema de debate na Assembleia Legislativa de Santa Catarina
Ver mais de Economia