Delivery Much
ECONOMIA

Machado: 'Vamos alegar que votação de reforma na CCJ sem dados é ilegal'

22 Abr 2019 - 21h37Por Daniel Weterman

Diante da decisão do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), de negar a suspensão da tramitação da reforma da Previdência na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, o vice-líder da oposição na Câmara, Aliel Machado (PSB-PR), disse que os deputados contrários à proposta vão alegar que é ilegal a votação sem os dados detalhados que embasaram o texto.

A estratégia da oposição é apresentar uma questão de ordem, no início da sessão desta terça-feira, 23, argumentando que a votação é ilegal até que o mérito da ação no STF seja apreciada e as informações sejam divulgadas. De acordo com Machado, Gilmar pediu que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e o presidente da CCJ na Casa, Felipe Francischini, se manifestem sobre o pedido.

"Vamos alegar que a votação da reforma na CCJ sem os dados é ilegal", disse o parlamentar. Ele afirmou que o governo é obrigado a detalhar os custos de transição para o sistema de capitalização ao apresentar a proposta.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Economia

Copom deve manter juros básicos em 2% ao ano, dizem analistas

Resultado da reunião será divulgado no fim da tarde
Geral

INSS: prova de vida de aposentados é suspensa até fevereiro

Portaria foi publicada hoje no Diário Oficial da União
INSS: prova de vida de aposentados é suspensa até fevereiro
Economia

Bancos Inter, Itaú e Caixa lideram ranking de reclamações ao BC

São consideradas instituições com mais de 4 milhões de clientes
Economia

Litro da gasolina sobe R$ 0,15 nas refinarias da Petrobras

O novo valor será de R$ 1,98 para as revendedoras
Litro da gasolina sobe R$ 0,15 nas refinarias da Petrobras
Ver mais de Economia