maio amarelo
ECONOMIA

Juros avançam com dólar em meio a temores sobre comércio EUA-China e Previdência

06 Mai 2019 - 11h03Por Luciana Antonello Xavier

Os juros futuros operam em alta na manhã desta segunda-feira, 6, na esteira do dólar forte em âmbito mundial por causa das tarifas comerciais dos Estados Unidos sobre a China. Além disso, a semana será movimentada, com o início da discussão da reforma da Previdência na Comissão Especial da Câmara (na terça-feira), desfecho da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), na quarta-feira, e o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de abril (sexta-feira).

Às 9h48, o contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para janeiro de 2021 indicava 7,07%, ante máxima em 7,10%, de 7,06% no ajuste de sexta-feira. O DI para janeiro de 2025 estava em 8,70%, de 8,68% no ajuste anterior. No câmbio, o dólar à vista subia 0,83%, aos R$ 3,9715. O dólar futuro para junho estava em alta de 0,85%, aos R$ 3,9815.

Na sexta-feira passada, as taxas fecharam em queda, diante do desempenho fraco da produção industrial, que reforçou o receio da contração da economia no primeiro trimestre. Os dados das vendas no varejo de março, que saem nesta quinta-feira, podem dar mais indicação sobre o quadro econômico local.

Sobre a reforma da Previdência, o presidente Jair Bolsonaro defendeu a reforma em entrevista ao programa Silvio Santos, do SBT, transmitida neste domingo, dizendo que um dos principais objetivos da proposta é "ajudar os pobres".

A popularidade do presidente, no entanto, segue fraca. Ele teve que cancelar a viagem que faria a Nova York para receber o prêmio Pessoa do Ano, organizado pela Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos, no próximo dia 14, após críticas feitas pelo prefeito da cidade, Bill de Blasio. O Museu de História Natural de Nova York recusou-se a sediar o evento assim como empresas se negaram a patrocinar a comemoração diante de ameaças de boicote por parte de ativistas de direitos LGBTQ e ligados a minorias.

E, nesta manhã, no Rio, um grupo com pelo menos 300 manifestantes, a maioria estudantes, está reunido próximo ao Colégio Militar do Rio (CMRJ), onde Bolsonaro participa de cerimônia alusiva aos 130 anos da instituição. O protesto é contra o corte de verbas na Educação anunciado pelo governo federal na semana passada.

Fica ainda no radar o risco de nova greve dos caminhoneiros no dia 21 de maio, que pode ter aumentado após a Petrobras aumentar o diesel em 2,57% no sábado, depois de ter promovido reajuste de 4,84% no dia 18 de abril.

Também é negativa a notícia de que a Focus elevou de novo a previsão para o IPCA em 2019 de 4,01% para 4,04%. Há um mês, estava em 3,90%. A projeção para o índice em 2020 seguiu em 4,00%. Quatro semanas atrás, estava no mesmo nível.

Matérias Relacionadas

Economia

Responsável por 3,7% do PIB, setor de defesa é oportunidade para indústria de SC

Responsável por 3,7% do PIB, setor de defesa é oportunidade para indústria de SC
Geral

Senado aprova suspensão da dívida do RS com a União por três anos

Estado poderá direcionar R$ 23 bilhões para reconstrução
Senado aprova suspensão da dívida do RS com a União por três anos
Política

Governo indica Magda Chambriard para presidência da Petrobras

Ela substituirá Jean Paul Prates que pediu saída antecipada
Governo indica Magda Chambriard para presidência da Petrobras
Geral

Cresol promove Semana Nacional de Educação Financeira na região

Tema central será a Proteção Financeira, com foco em formas de o consumidor se prevenir contra golpes e fraudes financeiras.
Cresol promove Semana Nacional de Educação Financeira na região
Ver mais de Economia