Dia internacional das Mulheres
ECONOMIA

Inflação da Páscoa sobe 17,15% em 2019 ante 2,61% em 2018, diz FGV

27 Mar 2019 - 13h24Por Vinicius Neder

Após dois anos de preços comportados, a inflação da Páscoa voltou a assustar, nas contas da Fundação Getulio Vargas (FGV). Os preços de uma cesta de produtos mais consumidos na Páscoa teve alta de 17,15% entre abril de 2018 e março de 2019, usando os dados do Índice de Preços ao Consumidor (IPC), calculado pela FGV. Em 2017 e 2018, o mesmo indicador havia subido 0,36% e 2,61%, respectivamente.

A inflação da Páscoa ficou bem acima da média do IPC. Considerando o IPC-10 de março, a alta acumulada no mesmo período foi de 4,37%.

O principal vilão da inflação da Páscoa de 2019 é a batata-inglesa. No período de um ano até março, o tubérculo ficou 78,83% mais caro, na média nacional. Também foram destaque de alta a couve (21,17%), o bacalhau (19,35%) e o atum (10,36%), informou a FGV.

"A alimentação tem subido mais neste início de ano, muito pelo fato de que este tem sido um período chuvoso. A questão climática tem significado um desafio para as lavouras, o que acaba impactando na oferta e, consequentemente, no preço dos alimentos", diz, em nota, o pesquisador Igor Lino, do Instituto Brasileiro de Economia (Ibre/FGV), responsável pelo levantamento.

Câmbio

A alta do dólar - há um ano, o câmbio estava cotado na casa de R$ 3,30, contra os R$ 3,90 de hoje - também influenciou no movimento, por causa do encarecimento dos produtos importados. "O que ajuda também a influenciar a alta no índice é a base de comparação mais baixa, pois tivemos dois anos em que a cesta de produto de Páscoa subiu abaixo da inflação. No caso do Bacalhau, soma-se a isso a alta do dólar no período, já que o pescado é importado", diz a nota da FGV.

Ainda assim, alguns produtos da cesta comumente consumida pelas famílias na Páscoa ficaram com os preços comportados, ou seja, com variação abaixo do IPC-10 do período analisado. Bombons e chocolates, por exemplo, subiram 3,64%, mas a FGV não monitora os preços dos ovos de Páscoa. Também ficaram comportados os preços da sardinha em conserva (2,83%), da azeitona em conserva (2,73%), dos ovos de galinha (2,08%) e do azeite (1,13%).

Os peixes frescos tiveram aumento de 4,67%, muito próximo do IPC-10, mas não é certo que serão uma alternativa ao bacalhau importado. "É importante ressaltar que os preços podem aumentar quando se aproximar a Semana Santa, dado que a demanda pelos peixes aumenta ainda mais nesse período", diz a nota da FGV.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Economia

Banco do Brasil oferece prova de vida do INSS por aplicativo

Ferramenta diminui comparecimento às agências
Banco do Brasil oferece prova de vida do INSS por aplicativo
Geral

Contribuinte pode destinar parte do IR para projetos sociais de Guaramirim

Todas as pessoas físicas podem fazer doações de recursos financeiros aos Fundos Municipais
Contribuinte pode destinar parte do IR para projetos sociais de Guaramirim
Economia

Aumento da gasolina também causa impacto no preço do etanol

Álcool acumula aumento de 21% desde janeiro
Aumento da gasolina também causa impacto no preço do etanol
Economia

Indústria brasileira cresce 0,4% de dezembro para janeiro

Setor teve expansão de 0,8% na média móvel trimestral
Indústria brasileira cresce 0,4% de dezembro para janeiro
Ver mais de Economia