GNet
Caraguá
ECONOMIA

Direção dos juros é de baixa com dólar fraco antes de emprego nos EUA

08 Mar 2019 - 11h17Por Renata Pedini

Os juros futuros contrariaram a previsão de alta nos primeiros negócios do dia, com viés de baixa, em linha com o ajuste em queda na cotação do dólar à vista na abertura. O mercado, contudo, também se mostra sensível ao dólar futuro, que já chegou a subir.

À medida que a cotação do futuro ganha força, as taxas retornam para perto da estabilidade, sem, contudo, virar para cima. A liquidez é reduzida, em meio à expectativa dos investidores pelo relatório de emprego dos EUA (payroll) de fevereiro, às 10h30 (de Brasília). Segundo operadores, pode definir o dia.

Às 9h40, o DI para janeiro de 2021 apontava taxa de 7,16%, ante 7,19% no ajuste de ontem. O DI para janeiro de 2023 indicava 8,31%, de 8,36% ontem no ajuste. A taxa do DI para janeiro de 2025 era de 8,85%, ante 8,89%. No câmbio, o dólar à vista caía 0,27%, a R$ 3,8733.

A cotação devolve parte do ganho recente. Na quinta-feira, fechou no pico do ano, a R$ 3,8837 no mercado à vista, zerando perdas acumuladas no período. O indutor do avanço do dólar foi o temor sobre a desaceleração global, além das incertezas na reforma da Previdência. Já os juros futuros haviam terminado a etapa estendida da véspera em queda, atribuída a um tuíte do presidente Jair Bolsonaro sobre a reforma no fim do dia.

Mas nesta sexta-feira, 8, os investidores estão no aguardo de sinais quanto ao andamento da Previdência, na Câmara, a partir da semana que vem.

No mercado internacional, dados decepcionantes da balança comercial da China ampliaram as preocupações com a desaceleração da economia mundial. Hoje, o tombo de 20,7% das exportações chinesas em fevereiro, bem maior que o declínio previsto (6%) se somou à contínua repercussão, nas mesas de operação, dos anúncios do Banco Central Europeu (BCE). Ontem, a autoridade monetária adotou novas medidas de estímulo monetário e cortou fortemente suas projeções de crescimento da zona do euro.

Internamente, o Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) subiu 1,25% em fevereiro, o que representa forte aceleração em relação ao fechamento de janeiro (0,07%). Divulgado pela Fundação Getulio Vargas (FGV), o resultado do indicador ficou dentro do intervalo das previsões coletadas pelo Projeções Broadcast, mas acima da mediana das estimativas (0,87% e 1,40%; mediana de 1,15%).

Caraguá

Matérias Relacionadas

Economia

Receita abre consulta a lote residual de restituições do IR

Contribuintes receberão crédito bancário no próximo dia 31
Receita abre consulta a lote residual de restituições do IR
Economia

Oportunidade de trabalho

Confira!
Oportunidade de trabalho
Segurança

Banco Central comunica vazamento de dados de 160,1 mil chaves Pix

Foram vazados dados cadastrais da Acesso Pagamentos
Banco Central comunica vazamento de dados de 160,1 mil chaves Pix
Economia

Presidente negocia PEC para zerar impostos sobre combustíveis

Em 2021, a gasolina e o diesel subiram 47%, Etanol acumula alta de 62%
Presidente negocia PEC para zerar impostos sobre combustíveis
Ver mais de Economia