ECONOMIA

CSN quer captar R$ 5 bilhões até o fim do ano

22 Fev 2019 - 09h12Por Circe Bonatelli e Cristian Favaro

A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) prevê captar R$ 5 bilhões em dinheiro novo em 2019, como parte da estratégia de reduzir seu endividamento e de atingir a relação entre dívida e geração de caixa para 3 vezes. Desse montante, R$ 2 bilhões virão por meio do contrato fechado com a Glencore, que prevê o fornecimento de minério de ferro pela CSN por um prazo de cinco anos.

Esse contrato, aliado à divulgação de um resultado considerado robusto pelo mercado - lucro líquido de quase R$ 1,8 bilhão apenas no quarto trimestre de 2018, cinco vez mais do que no mesmo período do ano anterior - animaram o mercado financeiro.

O principal papel da siderúrgica de Benjamin Steinbruch disparou nesta quinta-feira, 21, na B3, a Bolsa paulista. A ação ordinária da CSN fechou em alta de 9,39%, cota da R$ 11,53. Os analistas do Santander classificam os números da CSN como sólidos e acima do esperado. Eles apontam principalmente os dados do segmento de mineração, como boa demanda e preços favoráveis.

O Itaú BBA passou a considerar os papéis da CSN como de potencial acima da média do mercado. "Reconhecemos que a CSN apresenta uma história de investimento arriscada, mas acreditamos que a empresa pode se beneficiar de uma combinação de maiores preços para o minério, maior demanda de aço e cimento no Brasil e baixas taxas de juros", apontou o banco, em relatório.

Venda de ativos

Para atingir a meta de R$ 5 bilhões em captações, a CSN ainda precisa "correr atrás" de R$ 3 bilhões. Uma das saídas para atingir essa meta é a venda de ativos - em especial os que a empresa detém na Europa - e de ações preferenciais na Usiminas (na qual é sócia minoritária).

"Pela qualidade dos ativos e pela possibilidade de operações financeiras que podemos fazer, acreditamos na iniciativa de chegar a uma alavancagem em menos de 3 vezes. Vamos certamente entregar esse compromisso", disse Steinbruch, nesta quinta, em entrevista sobre os resultados da siderúrgica.

A companhia também informou ontem que prevê investir cerca de R$ 400 milhões nos próximos quatro a cinco anos com seu programa de segurança e revisão das atividades das barragens - o valor, no entanto, não alteraria significativamente os planos originais. A CSN tem sete barragens de rejeitos de minério, sendo três em Casa de Pedra, duas em Pires e duas em Fernandinho. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Economia

Senado aprova suspensão no aumento de preço de medicamentos em 2021

Texto determina a reversão de reajustes já aplicados neste ano
Senado aprova suspensão no aumento de preço de medicamentos em 2021
Economia

Programa de redução de salário preserva 1,5 milhão de empregos

Empresas de serviço e de comércio têm usado mais programa do governo
Programa de redução de salário preserva 1,5 milhão de empregos
Economia

Petrobras obtém lucro de mais de R$ 1 bilhão no primeiro trimestre

Empresa aumentou produção de petróleo e gás natural em 3%
Petrobras obtém lucro de mais de R$ 1 bilhão no primeiro trimestre
Saúde

Guaramirim fará vacinação da covid nesta sexta-feira em idosos acima de 60 anos

Serão atendidos os idosos pré-cadastrados do número 3511 até o 3751
Guaramirim fará vacinação da covid nesta sexta-feira em idosos acima de 60 anos
Ver mais de Economia