vacina
ECONOMIA

Coeficiente de Penetração de Importações sobe e fecha 2018 em 18,4%, diz CNI

16 Abr 2019 - 11h29Por Fabrício de Castro

O Coeficiente de Penetração das Importações no Brasil subiu pelo segundo ano consecutivo e atingiu 18,4% no fim de 2018. Os dados foram divulgados nesta terça-feira, 16, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). No fim de 2017, o coeficiente estava em 17,1%, pela série a preços constantes.

Este indicador mede a parcela de produtos importados de consumo aparente (soma da produção destinada ao mercado doméstico com as importações). Desde 2003, os 18,4% do fim do ano passado é o segundo maior valor para o coeficiente, atrás somente dos 18,8% de 2011.

De acordo com a CNI, os dados mostram que "a indústria brasileira perdeu participação para os competidores de outros países no mercado doméstico". "O crescimento do Coeficiente de Penetração das Importações ocorreu a despeito do recente movimento de desvalorização da moeda brasileira. Tal comportamento pode ser explicado pela defasagem usual de resposta da quantidade importada à taxa de câmbio", avaliou a confederação.

Já o Coeficiente de Exportação da indústria brasileira encerrou o ano de 2018 em 15,8%. O porcentual reflete a participação das exportações na produção no acumulado de 12 meses até dezembro, na série a preços constantes. No fim de 2017, estava em 15,7% e, em 2016, em 15,9%.

Para a CNI, o resultado confirma a interrupção da retomada iniciada em 2015. "As exportações se mantiveram em crescimento nos últimos dois anos, mas a sua participação na produção permaneceu relativamente estável, pois o crescimento veio acompanhado pelo aumento da demanda doméstica. Após crescer 3,7 pontos percentuais de 2014 a 2016, o Coeficiente de Exportação a preços constantes manteve-se em torno de 15,8% de 2016 a 2018", pontuou a CNI.

A confederação informou ainda que o Coeficiente de Insumos Industriais Importados, que mede a participação dos insumos importados no total de insumos industriais utilizados pela indústria de transformação, atingiu 24,3% no fim de 2018. Em 2017, estava em 23,1%.

Já o Coeficiente de Exportações Líquidas marcou 3,3% nos 12 meses encerrados em dezembro de 2018. Em 2017, estava em 4,0%. O indicador mostra a diferença entre as receitas obtidas com as exportações e as despesas com a importação de insumos industriais, ambas medidas em relação ao valor da produção.

Matérias Relacionadas

Santa Catarina

Celesc emite comunicado sobre erros nas faturas de energia

Implantação do novo sistema comercial teria apresentado instabilidade
Celesc emite comunicado sobre erros nas faturas de energia
Economia

Responsável por 3,7% do PIB, setor de defesa é oportunidade para indústria de SC

Responsável por 3,7% do PIB, setor de defesa é oportunidade para indústria de SC
Geral

Senado aprova suspensão da dívida do RS com a União por três anos

Estado poderá direcionar R$ 23 bilhões para reconstrução
Senado aprova suspensão da dívida do RS com a União por três anos
Política

Governo indica Magda Chambriard para presidência da Petrobras

Ela substituirá Jean Paul Prates que pediu saída antecipada
Governo indica Magda Chambriard para presidência da Petrobras
Ver mais de Economia