Joaçaba Pneus
ECONOMIA

Bolsas de NY fecham em queda após dados dos EUA abaixo do esperado

21 Fev 2019 - 20h04Por Victor Rezende

Os mercados acionários americanos encerraram a sessão desta quinta-feira, 21, em baixa, afetados por indicadores abaixo do esperado dos Estados Unidos em um cenário de perda de fôlego da economia mundial.

O índice Dow Jones fechou em queda de 0,40%, cotado a 25.850,63 pontos; e, ainda na Bolsa de Valores de Nova York (Nyse), o S&P 500 recuou 0,35%, para 2.774,88 pontos. Já o índice eletrônico Nasdaq cedeu 0,39%, para 7.459,71 pontos.

"A perspectiva global continua a escurecer e os EUA, que tinham, até recentemente, permanecido um ponto relativamente brilhante, começam a apagar. Os dados mais recentes sugerem que o desempenho superior da economia americana pode ter sido de curta duração", avalia o economista-chefe para EUA da Capital Economics, Paul Ashworth. Nesta quinta-feira, diversos indicadores da economia americana foram divulgados e apontaram para um cenário de cautela entre os investidores.

A Associação Nacional de Corretoras (NAR, na sigla em inglês) informou que as vendas de moradias usadas nos EUA contrariaram a previsão de ligeira alta e caíram 1,2% na passagem de dezembro para janeiro, ao mesmo tempo que o índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) do setor industrial do país, medido pela IHS Markit, recuou de 54,9 pontos para 53,7, abaixo da projeção de analistas, que esperavam queda menor, para 54,2 pontos. A consultoria também informou que a indústria da zona do euro e a do Japão passaram a apresentar contração da atividade em fevereiro.

"Muitos dos dados foram negativos hoje. Todo o objetivo do plano tributário do governo foi o reinvestimento no nosso país, mas ainda não vimos os ganhos de produtividade", afirmou o diretor de investimentos da Cresset Wealth Advisors, Jack Ablin.

O movimento também foi atribuído a uma leve realização de lucros após fortes ganhos recentes à medida que os investidores continuam a monitorar as negociações comerciais entre EUA e China. Relatos da imprensa americana indicam que o presidente Donald Trump participará do último dia das conversas e, portanto, se encontrará com o vice-primeiro-ministro chinês, Liu He. "Há otimismo sobre o comércio sino-americano de que há um desejo de se fazer um acordo ou ao menos algo que evite a próxima rodada de tarifas. Acho que o mercado ficaria muito surpreso de o aumento das tarifas não fosse adiado", comentou o estrategista Kit Juckes, do Société Générale.

Nesse cenário, os investidores aproveitaram para vender ações de companhias ligadas ao setor industrial, que são mais sensíveis às tensões comerciais sino-americanas. O papel da Boeing caiu 0,94%, o da Caterpillar cedeu 1,02%, o da 3M teve perda de 0,36% e o da Lockheed Martin teve baixa de 0,88%. (Com informações da Dow Jones Newswires)

Matérias Relacionadas

Geral

GUARAMIRIM - Programa Nascer recebe propostas para pré-incubação de ideias inovadoras

Objetivo da iniciativa é visa estimular a inovação e o empreendedorismo inovador de base tecnológica
Economia

Exportação de SC cresce 36,3% em maio

No acumulado de janeiro a maio, os embarques do estado somaram US$ 3,8 bilhões - um aumento de 11,2% em relação ao mesmo período de 2020
Exportação de SC cresce 36,3% em maio
Economia

Programa Juro Zero libera mais de R$ 2 milhões em dois meses

Programa de Microcrédito Municipal atende micro e pequenas empresas, microempreendedores individuais e autônomos
Programa Juro Zero libera mais de R$ 2 milhões em dois meses
Economia

Bolsonaro pede a empresários para segurarem preço dos alimentos

Pedido ocorreu durante encontro no Rio de Janeiro
Bolsonaro pede a empresários para segurarem preço dos alimentos
Ver mais de Economia