dengue
ECONOMIA

Bolsas de NY fecham em alta, com corporativas amparando recordes de S&P e Nasdaq

10 Fev 2020 - 21h10Por Gabriel Bueno da Costa

As bolsas de Nova York tiveram uma abertura sem sinal definido, com os temores sobre o coronavírus e seus impactos no radar. Ao longo do pregão, porém, os índices acionários ganharam força, depois de um indicador positivo da economia dos Estados Unidos e de notícias de companhias importantes, o que fez com que os índices registrassem ganhos, com o S&P 500 e o Nasdaq em recordes históricos de fechamento.

O índice Dow Jones fechou em alta de 0,60%, em 29.276,82 pontos, o Nasdaq subiu 1,13%, a 9.628,39 pontos, e o S&P 500 teve ganho de 0,73%, a 3.352,09 pontos.

Na agenda de indicadores, o índice de tendência do emprego nos EUA, elaborado pelo Conference Board, subiu a 110,24 em janeiro. O sinal de resiliência da economia americana fortaleceu os índices acionários, que atingiram máximas intraday em Nova York.

À tarde, os índices ganharam ainda mais impulso, com notícias corporativas em foco. A ação da Amazon subiu 2,63%, com o papel superando pela primeira vez a marca de US$ 2.100, após a Moody's ter elevado o rating da companhia de A3 para A2, com perspectiva positiva. Boeing, por sua vez, teve alta de 2,35%, depois de o analista da Benchmark Josh Sullivan iniciar a cobertura da ação com indicação de compra.

Estrategista sênior da Blackrock para a América do Norte, Kurt Reiman argumenta que, mesmo após o avanço recente das bolsas de Nova York, tem avaliação "neutra" para o comportamento delas ao longo de 2020. Reiman diz em relatório a clientes que houve resultados "encorajadores" em balanços corporativos recentes, mas vê risco de perda de fôlego das empresas, em um quadro de incerteza por causa da eleição presidencial em novembro. O quadro eleitoral pode exacerbar a volatilidade em comparação com anos recentes, adverte o economista.

Em Washington, o governo do presidente Donald Trump apresentou proposta orçamentária para o ano fiscal de 2021, no valor de US$ 4,8 trilhões. Trump defendeu cortes em gastos sociais e em ajuda ao exterior, com reforço no montante destinado à defesa e aos veteranos. Agora, o projeto será debatido no Congresso, onde deve encontrar resistência dos democratas.

Matérias Relacionadas

Economia

Zanotti Elásticos, de Jaraguá do Sul, está contratando

Confira!
Zanotti Elásticos, de Jaraguá do Sul, está contratando
Economia

Entrega de carnês do IPTU 2024 de Jaraguá deve ser concluída até o fim do mês

Até agora os Correios já entregaram cerca de 50% do total de carnês impressos
Entrega de carnês do IPTU 2024 de Jaraguá deve ser concluída até o fim do mês
Economia

WEG anuncia lucro de R$ 5,731 bilhões em 2023

Resultado é 36,2% maior do que o de 2022. Empresa de Jaraguá do Sul distribui lucros aos colaboradores em março
WEG anuncia lucro de R$ 5,731 bilhões em 2023
Política

Representantes do governo dos Emirados Árabes demonstram interesse em investir na infraestrutura de

Essa foi a primeira reunião da missão internacional catarinense aos Emirados Árabes, liderada pelo governador Jorginho Mello.
Representantes do governo dos Emirados Árabes demonstram interesse em investir na infraestrutura de
Ver mais de Economia