dengue
ECONOMIA

Bolsa tem menor nível de fechamento desde 16/12, com giro elevado apesar de caos

10 Fev 2020 - 19h50Por André Ítalo Rocha

A percepção de que a epidemia do coronavírus está longe de ser contida, com o aumento do número de mortes e casos suspeitos na China e em outros países, fez a Bolsa fechar em queda o primeiro pregão da semana. Os relatos de que a doença tem afetado os negócios de exportadores e importadores brasileiros alimentam o mau humor do mercado, enquanto cresce o número de casas que consideram viés de baixa para o PIB de 2020.

Assim, o Ibovespa, principal índice da B3, terminou a sessão desta segunda-feira em baixa de 1,05%, aos 112.570,30 pontos, na antevéspera de vencimento de opções sobre o índice, o que também gerou pressão de vendas nesta primeira sessão da semana. O nível de fechamento de hoje foi o menor para o Ibovespa desde 16 de dezembro, quando o índice encerrou aos 111.896,04 pontos - no dia seguinte, fechou a 112.615,66. Na mínima, o índice foi hoje aos 112.134,40 e na máxima aos 114.176,46 pontos. No ano, acumula agora perda de 2,66% e, no mês, de 1,05%.

As fortes chuvas que atingiram São Paulo e causaram transtornos em vários pontos da cidade não chegaram, segundo operadores, a prejudicar os negócios da Bolsa, que teve giro de R$ 29,1 bilhões nesta sessão, em nível elevado.

No início da tarde, a Organização Mundial da Saúde (OMS) informou que, na China, já foram identificados 40.235 casos de coronavírus, com 909 mortes. No resto do mundo, 309 pacientes foram diagnosticados com a doença em 24 países, com uma morte nas Filipinas. "Cerca de 2% dos casos são fatais, o que ainda é muito", disse o diretor-geral da entidade, Tedros Adhanom Ghebreyesus, em coletiva de imprensa em Genebra, na Suíça.

A epidemia tem causado revisões para baixo no PIB da China, segunda maior economia do mundo e principal parceira comercial do Brasil. Na semana passada, por exemplo, o JPMorgan cortou estimativa para a expansão da economia chinesa, de 4,9% para 1% no primeiro trimestre e de 5,8% para 5,4% no ano.

No Brasil, o movimento de revisões é mais tímido, mas os sinais de alerta têm crescido. Em relatório divulgado hoje, o Commerzbank ressaltou que os dados de atividade econômica têm sido decepcionantes no Brasil, sem que ainda se saiba a extensão do impacto do coronavírus. O Itaú Unibanco e o Banco Fibra, por sua vez, admitiram, também em relatórios divulgados hoje, que consideram viés de baixa para suas projeções de PIB em 2020, atualmente em 2,2% e 2,6%, respectivamente. Ambos citam o coronavírus como fator de risco.

Luiz Roberto Monteiro, operador de mesa institucional da Renascença, afirma que a falta de perspectivas positivas para a epidemia reforça o pessimismo. "Por enquanto, não estamos vendo nenhuma solução. Os casos de morte e os casos suspeitos estão aumentando, os exportadores e importadores estão tendo problemas e algumas casas têm reduzido suas estimativas para o PIB", diz. Na semana passada, por exemplo, a Itaú Asset diminuiu projeção para o crescimento da economia brasileira, de 2,7% para 2,3% em 2020.

As declarações dadas nesta tarde pelo presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), também pesaram sobre os negócios. Maia disse que a privatização da Eletrobras "a cada dia que passa, fica mais difícil". Os papéis ON da estatal caíram 3,78% e ajudaram a derrubar o principal índice da B3.

Matérias Relacionadas

Política

Representantes do governo dos Emirados Árabes demonstram interesse em investir na infraestrutura de

Essa foi a primeira reunião da missão internacional catarinense aos Emirados Árabes, liderada pelo governador Jorginho Mello.
Representantes do governo dos Emirados Árabes demonstram interesse em investir na infraestrutura de
Economia

BNDES aprova financiamento de R$ 118 milhões para plano de inovação da WEG

O financiamento do Banco Nacional faz parte da linha BNDES Mais Inovação, lançada em setembro de 2023
BNDES aprova financiamento de R$ 118 milhões para plano de inovação da WEG
Economia

Piso regional de SC é atualizado em 6%

Empregadores e trabalhadores chegam a acordo e novas faixas terão valores de R$ 1.612,26 a R$ 1.844,40.
Piso regional de SC é atualizado em 6%
Economia

Lunelli acompanha governador em missão internacional nos Emirados Árabes 

A comitiva visitará Dubai e Abu Dhabi para conhecer as estruturas de comércio, turismo, investimentos e tecnologia das cidades e também estreitar relações com o país do Médio Oriente
Lunelli acompanha governador em missão internacional nos Emirados Árabes 
Ver mais de Economia