domingo, 26 de maio de 2019 - 02h13
(47) 3371-1010Central (47) 3372-1010Ao Vivo
ECONOMIA

Bahia teve o maior contingente de desalentados no 1º trimestre, diz IBGE

16 Mai 2019 - 11h43Por Vinicius Neder

Dos 4,843 milhões de pessoas em situação de desalento no primeiro trimestre deste ano, 768 mil moram na Bahia, Estado que têm o maior contingente nessa situação, conforme dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) divulgados nesta quinta-feira, 16, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

No total do Brasil, a taxa de desalento (porcentual de desalentados em relação à população na força de trabalho ou desalentada) ficou em 4,4% no primeiro trimestre, recorde da série histórica da Pnad Contínua, iniciada em 2012.

O Maranhão teve a maior taxa de desalento entre todos os Estados, com 17,9% no primeiro trimestre. Segundo o IBGE, são 561 mil pessoas desalentadas no Maranhão.

As menores taxas de desalento estão no Rio (1,2%) e em Santa Catarina (0,9%).

A população desalentada é definida como aquela que estava fora da força de trabalho por uma das seguintes razões: não conseguia trabalho, ou não tinha experiência, ou era muito jovem ou idosa, ou não encontrou trabalho na localidade - e que, se tivesse conseguido trabalho, estaria disponível para assumir a vaga. Os desalentados fazem parte da força de trabalho potencial.