ECONOMIA

Atividade no 4º trimestre de 2018 teve ritmo aquém do esperado, diz ata

26 Mar 2019 - 10h17Por Fabrício de Castro

Na ata do último encontro do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, divulgada na manhã desta terça-feira, 26, os membros do colegiado reconheceram que o ritmo da atividade econômica ficou abaixo do esperado no quarto trimestre de 2018, gerando um carregamento estatístico desfavorável para o início de 2019.

Conforme a ata, as projeções de crescimento para o PIB - inclusive aquelas compiladas no Relatório de Mercado Focus - recuaram desde a divulgação das Contas Nacionais para o último trimestre do ano passado, refletindo, em boa medida, o nível mais baixo para o Produto Interno Bruto ao fim de 2018 - ou seja, o chamado carregamento estatístico.

Além do carregamento estatístico, o BC avalia que "parte das revisões para o crescimento em 2019 parece refletir, também, indicadores preliminares disponíveis para os primeiros meses do trimestre corrente".

Apesar das revisões, o Copom indicou que "as projeções para o crescimento do PIB na margem - ou seja, do primeiro ou segundo trimestres em diante, em relação aos trimestres anteriores - não sofreram alterações relevantes". "Essa dinâmica é consistente com o cenário básico do Copom, de recuperação da economia brasileira em ritmo gradual", acrescentou o colegiado.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Economia

Lunelli distribui R$ 12 milhões aos colaboradores, mesmo após ano desafiador

Lunelli distribui R$ 12 milhões aos colaboradores, mesmo após ano desafiador
Economia

Preços de produtos industrializados sobem 3,36% em janeiro

Taxa é maior que índices de dezembro (0,39%) e janeiro de 2020 (0,35%)
Preços de produtos industrializados sobem 3,36% em janeiro
Polícia

Polícia apreende carga de camarão contrabandeado na BR 101, em Garuva

A carga contrabandeada era transportada sem refrigeração adequada e sem nenhum tipo de documentação
Polícia apreende carga de camarão contrabandeado na BR 101, em Garuva
Economia

Preços de gasolina, diesel e gás aumentam hoje nas refinarias

Litro da gasolina ficou R$ 0,12 mais caro (4,8%)
Preços de gasolina, diesel e gás aumentam hoje nas refinarias
Ver mais de Economia