Câmara

Recesso na Câmara deve adiar votação de processo contra Cunha

06 Jul 2016 - 11h00
A Câmara dos Deputados vai seguir decisão do Senado e entrar em recesso na próxima semana. A decisão deve adiar para agosto a votação final da cassação de Eduardo Cunha no Plenário.

 

O líder do governo na Casa, deputado André Moura, do PSC, afirmou nessa terça-feira (5) que a decisão foi do presidente em exercício, deputado Waldir Maranhão, e que ão houve consenso entre líderes para a proposta do governo.

 

André Moura disse que a Câmara vai fazer um esforço concentrado na próxima semana, de segunda a quinta-feira, para votar as medidas de interesse do governo. O esforço concentrado para esta semana não deu certo e não houve votações na segunda-feira.

 

O vice-líder do PT, deputado Henrique Fontana, afirmou que o chamado recesso branco dá mais tempo para Eduardo Cunha.

 

Os parlamentares só podem entrar em recesso no meio de ano se votarem a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) do ano seguinte. Como a LDO não foi aprovada, existe uma prática no Congresso Nacional de entrar no chamado recesso branco, quando os parlamentares entram em folga de forma extraoficial. No recesso branco não há votações na Casa, apenas sessões de debates.

 

 

Agência Brasil

Matérias Relacionadas

Esportes

Flamengo terá de pagar pensão a vítimas de incêndio e familiares

Justiça fixou em R$ 10 mil por mês indenização a 13 famílias
Política

Novo partido de Bolsonaro é registrado em cartório

Aliança Pelo Brasil, porém, ainda depende de registro no TSE
Segurança

Câmara aprova pacote anticrime; texto vai ao Senado

Câmara aprova pacote anticrime; texto vai ao Senado
Geral

Casamento entre pessoas do mesmo sexo aumenta mais de 60% em 2018

Pesquisa do IBGE mostra que foram realizadas 9.520 uniões civis
Casamento entre pessoas do mesmo sexo aumenta mais de 60% em 2018
Ver mais de Brasil