Imobiliária Coralli
Lula

PT amadurece decisão de mudar nome e sigla

07 Out 2016 - 13h37
Após o fracasso eleitoral do dia 2, ganhou força no PT (Partido dos Trabalhadores) a proposta de mudança de nome e de sigla, para evitar a debandada de militantes do partido devastado pela corrupção.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e dirigentes petistas se assustaram com o resultado das urnas, mostrando que o PT encolheu 63%, e agora avaliam a necessidade de “mudar para sobreviver”, antes que a eleição de 2018 decrete a extinção do partido.

O temor no PT é de que sua extinção venha a ser precipitada com uma possível prisão de Lula. Sem ele, o PT acabaria, avaliam dirigentes.

Estimativas internas indicam que em 2018 o PT somente deve eleger 30 deputados federais, se tanto. Hoje são 58, mas elegeu 70 em 2014.

Um obstáculo para o partido mudar de nome é a autoria da proposta: o ex-ministro Tarso Genro é de facção contrária à de Lula.

Até rivais já mudaram de nome

Em 1998, o PFL (Partido da Frente Liberal) tinha a maior bancada na Câmara: 105 deputados eleitos. Em 2007, o PFL virou DEM (Democratas). Em 2014, elegeu 28 deputados.

 

As informações são do

Metro Jornal - SP

Matérias Relacionadas

Eleições 2020

Tire suas dúvidas sobre as eleições municipais

Na microrregião, mais de 181,9 mil eleitores devem ir urnas neste ano.
Tire suas dúvidas sobre as eleições municipais
Economia

Confaz divulga nova tabela de preços médios de combustíveis

Decisão saiu no Diário Oficial de hoje
Confaz divulga nova tabela de preços médios de combustíveis
Economia

Confiança do comércio recua 3,8 pontos em outubro, diz FGV

Indicador passou para 95,8 pontos, em uma escala de zero a 200 pontos
Confiança do comércio recua 3,8 pontos em outubro, diz FGV
Economia

Mercado financeiro eleva projeção da inflação para 2,99%

Produto Interno Bruto (PIB) deve crescer 3,42% em 2021
Mercado financeiro eleva projeção da inflação para 2,99%
Ver mais de Brasil