Covid - 19
INSS

Pressão de aposentados do INSS faz governo antecipar 13º

20 Jun 2016 - 12h42
A pressão dos aposentados do INSS para receber a primeira parte do 13º antecipada este ano surtiu efeito. O governo informou nesta quinta-feira que manterá o cronograma de pagamento em duas parcelas. De acordo com o presidente da Confederação Brasileira de Aposentados (Cobap), Warley Martins, o decreto autorizando o crédito antecipado já teria sido encaminhado à Presidência da República. Segundo o dirigente, faltaria o presidente interino Michel Temer (PMDB) assinar a medida para publicação no Diário Oficial da União.

O Ministério da Fazenda confirmou que o pagamento será antecipado este ano. Mas não informou em qual folha a primeira parte virá creditada. Em nota, a pasta limitou-se a divulgar “que não houve mudança no cronograma do pagamento do 13º dos aposentados em duas parcelas”. Conforme Warley Martins, a expectativa é de que o crédito ocorra juntamente com a folha de agosto, entre os cinco últimos dias úteis daquele mês e os primeiros cinco dias úteis de setembro.

“Estivemos reunidos hoje (quinta) com representantes da Fazenda e da Secretaria de Previdência, entre eles o (Benedito) Brunca (secretário de Políticas da Previdência). E garantiram que o decreto está pronto e aguarda a assinatura do presidente Temer. Nos falaram que está nas mãos dele”, afirmou Martins, que participou nesta quinta, em Brasilia, de ato nos prédios da Fazenda e do antigo Ministério da Previdência com representantes da Confederação dos Trabalhadores na Agricultura (Contag).

O governo Temer enfrentava fortes resistências dos aposentados com a possibilidade de não haver a antecipação este ano. A própria Cobap ameaçou organizar protestos e ocupar agências do INSS em todo o país para pressionar. Dirigentes da entidade entregaram no começo deste mês um documento, durante reunião do Conselho Nacional da Previdência, cobrando posição sobre a antecipação do abono natalino.

O sindicato nacional da categoria, da Força Sindical, também pressionou o governo. Conforme O DIA mostrou nesta quinta-feira, o presidente licenciado, João Batista Inocentini, revelou que entraria com ação no Supremo Tribunal Federal para garantir o crédito na folha de agosto, caso a resposta fosse negativa. Na segunda-feira, ele esteve com o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, e o questionou em relação à antecipação.

Desde 2006, os mais de 30 milhões de aposentados, pensionistas e segurados do INSS recebem a primeira parte do 13º antecipadamente. A medida foi adotada após acordo entre o então presidente Lula e representantes dos segurados. O depósito da metade do abono passou a ser feito com a folha de agosto, com o crédito começo de setembro.

 

Jornal O Dia

Matérias Relacionadas

Geral

Guedes diz que Brasil precisa de apoio para preservação ambiental

Ministro destaca compromisso com soberania da Amazônia
Guedes diz que Brasil precisa de apoio para preservação ambiental
Economia

Setor de segurança tem alta de 40% na busca por tecnologia inteligente

Busca por portaria remota cresceu 20%, revela pesquisa
Setor de segurança tem alta de 40% na busca por tecnologia inteligente
Política

Fiocruz e dois hospitais devem criar protocolos para eleições, diz TSE

A medida se deve a pandemia do novo coronavírus
Fiocruz e dois hospitais devem criar protocolos para eleições, diz TSE
Economia

Mercado financeiro projeta queda de 6,1% na economia neste ano

A informação foi divulgada hoje pelo Banco Central
Mercado financeiro projeta queda de 6,1% na economia neste ano
Ver mais de Brasil