GNet
Recorde

Porcentual de cheques devolvidos atinge 2,39%,

22 Jun 2016 - 14h14
O porcentual de cheques devolvidos em relação ao total compensado atingiu 2,39% em maio, segundo maior nível para o mês desde o início da série histórica, em 1991, segundo pesquisa da Serasa Experian. O recorde para meses de maio foi registrado em 2009, com 2,52%.

Em maio foram compensados 20,622 milhões de cheques, com 1,208 milhão devolvidos pela segunda vez por insuficiência de fundos. Segundo os economistas da Serasa, o aumento do desemprego e a queda do rendimento médio da população estão impulsionando a inadimplência do consumidor em praticamente todas as suas modalidades, sendo a de cheques uma delas.

No acumulado de janeiro a maio, o porcentual de cheques devolvidos está em 2,42%. Na divisão por regiões, a maior inadimplência está no Nordeste (4,63%), seguido do Norte (4,60%), Centro-Oeste (3,18%), Sul (2,12%) e Sudeste (1,99%). Entre os Estados, o mais inadimplente é o Amapá (18,50%) e o menor porcentual está em São Paulo (1,83%).

 

 

Agência Estado
GNet

Matérias Relacionadas

Economia

SC demanda R$ 18,5 bilhões até 2025 para obras de infraestrutura de transportes

O presidente da FIESC, Mario Cezar de Aguiar, disse que Santa Catarina precisa de um planejamento integrado e sistêmico da macrologística para o curto, médio e longo prazos
SC demanda R$ 18,5 bilhões até 2025 para obras de infraestrutura de transportes
Economia

Multinacional catarinense, Bold encerra 2021 com abertura de novas filiais

Como resultado de ações estratégicas, a empresa registra um crescimento próximo aos 40%, em 2021
Multinacional catarinense, Bold encerra 2021 com abertura de novas filiais
Política

Barroso pede manifestação do governo sobre passaporte da vacina

Ação quer tornar obrigatória adoção de recomendações da Anvisa
Barroso pede manifestação do governo sobre passaporte da vacina
Economia

Após fala de Bolsonaro, Petrobras afirma que não há decisão sobre ajustes nos preços de combustíveis

Petrobras publicou uma nota nesta segunda-feira (6)
Após fala de Bolsonaro, Petrobras afirma que não há decisão sobre ajustes nos preços de combustíveis
Ver mais de Brasil